“Não foi coincidência.” Polícia Civil prende serial killer 70 dias depois do início das investigações

Durante a apresentação a Polícia Técnico-Científica de Goiás confirmou o nome de seis mulheres assassinadas pela arma encontrada com Tiago Gomes da Rocha

Tiago Henrique Gomes suspeito de ser o serial killer

Tiago Henrique Gomes suspeito de ser o serial killer

Em meio ao choro emocionado dos familiares e ao olhar enternecido da imprensa goiana e nacional, Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 26 anos, o suposto serial killer que atuava nas ruas de Goiânia e vitimou ao menos 39 pessoas, entre mulheres e pessoas em situação de rua, foi apresentando nesta quinta-feira (16/10) na sede da Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO).

Durante a apresentação, o superintendente de Polícia Judiciária da SSP-GO, Deusny Aparecido Silva, afirmou que a força-tarefa, operação incumbida em dar celeridade na elucidação de crimes que vitimavam mulheres, trabalhou por 70 dias até chegar ao suspeito. “O nosso trabalho foi velado, não sendo, portanto, ‘coincidência’. Passamos madrugadas a fio investigando todos os casos”, disse, reafirmando que a força-tarefa contou com a participação de 25 delegados, 95 agentes e 30 escrivães.

Deusny Aparecido Silva salientou também que no último dia 10 a Justiça, por decisão do juiz Eduardo Pio Mascarenhas da Silva, expediu um mandado de prisão contra o suspeito. “Decreto a prisão temporária de um homem branco, com idade aproximada de 25 anos, 1,87 m de altura, compleição atlética, sem barba ou bigode”, dizia o documento.

A polêmica de um suposto assassino em série iniciou no dia 19 de janeiro deste ano com a morte de Beatriz Oliveira, de 23 anos, no Setor Nova Suíça. Nos últimos meses, os crimes ganharam repercussão da mídia nacional e internacional e foram descritos como feminicídio.

Laudo Técnico

No momento da prisão, que ocorreu nessa terça-feira (14), a polícia encontrou com o suspeito uma arma e uma moto utilizadas nos crimes.

Em seguida, nessa quarta-feira (15), a arma foi encaminhada às mãos da superintendente da Polícia Técnico-Científica de Goiás, Itatiana Pires, que trabalhou durante toda noite fazendo o confronto balístico dos projéteis encontrados nas cenas dos crimes.

Durante coletiva, a superintendente confirmou os nomes de seis jovens que foram assassinadas por essa arma: Ana Lídia Gomes, 14 anos; Isadora Cândido, 15; Juliana Dias, 22; Rosirene Alberto, 29; Thaynara da Cruz, 13; Thamara Conceição, de 17.

O Depoimento

Após a prisão, o suspeito foi interrogado pela Polícia Civil, quando afirmou que assassinava as vítimas porque “era tomado por uma raiva tremenda, emoção esta que lhe fazia acreditar que ele precisava matar, sendo que depois dos homicídios ele sentia remorso, contudo a raiva ia embora”.

Nessa quarta-feira, o advogado do suspeito, Thiago Huáscar, afirmou ao Jornal Opção Online que anexou uma procuração nos autos para ter acesso às investigações, para, a partir de então, montar a defesa do suspeito.

Ainda de acordo com o depoimento, Tiago Gomes da Rocha confessou o assassinato de ao menos 39 pessoas, entre mulheres e pessoas em situação de rua. E, interpondo com os homicídios, assaltava loterias, farmácias, além de roubar placas de outras motocicletas para alterar seu próprio veículo para continuar praticando os crimes.

Familiares e emoção

Maria Aparecida Reis, que leva o nome da filha Isadora Cândido tatuado no braço direito, afirmou a reportagem, que apesar do sofrimento, agora se sente aliviada.

A jovem Isadora Cândido foi assassinada menos de um mês depois que completou 15 anos. O crime ocorreu no dia 1º de junho deste ano. A menor, que estava acompanhada do namorado Clayton César, foi atingida com um tiro nas costas.

“Ela tinha muitos sonhos, era uma jovem atleta, jogava capoeira e, no futuro, pensava em ser juíza. Ele é um assassino covarde”, confessou a mãe chorando.

Na época, o Jornal Opção Online adiantou que o namorado de Isadora, Clayton César Pimenta Júnior, disse reconhecer o retrato falado do suspeito de matar a assessora parlamentar Ana Maria Victor Duarte, de 26 anos, no dia 15 de março deste ano, como o homem que atirou nas costas de Isadora.

 

 

Deixe um comentário