O ex-deputado federal Major Vitor Hugo disse nas redes sociais que ainda não há definição para a disputa eleitoral de 2024. Caso resolva disputar o pleito em Anápolis, o antigo líder de Bolsonaro na Câmara ainda tem até o dia 8 de maio para trocar o domicílio eleitoral, conforme a legislação eleitoral. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), esse prazo também é o limite para emissão da 2ª via tanto para o candidato quanto para o eleitor.

Em tempo, isso quer dizer que o candidato pode mudar seu rumo seis meses antes do pleito. Aposta-se ainda em uma candidatura para a Câmara de Goiânia como um dos caminhos para Vitor Hugo estabelecer uma base eleitoral na Capital.

“Atentem para a Lei nº 9.504/1997 (Lei das Eleições): “Art. 9º Para concorrer às eleições, o candidato deverá possuir domicílio eleitoral na respectiva circunscrição pelo prazo de SEIS MESES e estar com a filiação deferida pelo partido no mesmo prazo”.

Com domicílio eleitoral em Goiânia, Vitor Hugo é cotado para disputar a prefeitura da Capital no ano que entra. Com a oficialização da pré-candidatura do PT em Goiânia, a direita tende a movimentar num momento que os players ainda não estão definidos.

Além de Vitor Hugo, o deputado federal Gustavo Gayer (PL), que conta com o apoio direto de Bolsonaro pela sua atuação e defesa da pauta bolsonarista no Congresso, é o favorito. Ainda que não dispute o Paço, ele é visto tido como uma peça fundamental para puxar votos.

É o caso também de Leandro Vilela, com domicílio eleitoral em Jataí. Na impossibilidade de uma candidatura consistente na vizinha da Capital Aparecida de Goiânia, Vilela tem prazo.

Leia também:

Major Vitor Hugo não transfere título para Anápolis e deve disputar mandato em Goiânia

Major Vitor Hugo articula pré-candidatura em Goiânia com vista à vice de Vanderlan