Na volta ao trabalho, Alego deve votar política de atenção a gestante

A matéria deverá passar agora por dois turnos de votação em Plenário

Após retornarem aos trabalhos em fevereiro, os deputados pretendem discutir a criação da Política de Atenção à Saúde Materna e Infantil no Estado de Goiás, que tem o objetivo de estimular a atenção às gestantes, puérperas e crianças para prevenir a mortalidade e a morbidade materna e infantil.

Este é um projeto de nº 4760/20, de autoria do deputado Delegado Eduardo Prado (DC). “Embora nas últimas décadas a cobertura de atenção ao pré-natal tenha aumentado, a garantia da qualidade do pré-natal e da atenção hospitalar são ainda as questões de maior desafio”, explica o autor do projeto.

Dentre as exigências do projeto, está a execução dos exames de triagem neonatal e a necessidade dos centros de saúde, públicos e privados, de informar os pais sobre a existência do teste do pezinho ampliado, em conformidade com a legislação federal. “Dessa forma, a propositura ao garantir a atenção humanizada à gravidez, ao parto e ao puerpério (pós-parto), bem como assegurar às crianças o direito ao nascimento seguro e ao crescimento e desenvolvimento saudáveis, resultará na redução da mortalidade e da morbidade materna e infantil”, concluiu o deputado.

Depois de ser aprovada na Comissão de Constituição e Justiça e na Comissão de Saúde, a matéria agora passa por dois turnos de votação em Plenário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.