“Na queda de braço, parte mais fraca são empresários”, diz Humberto Aidar sobre CPI

Segundo o parlamentar, deputados não dependem de empresários e Alego possui autonomia para aprovar, mudar e revogar leis

Para Aidar, não é inteligente da parte dos empresários atacar deputados  | Foto: Reprodução

O deputado Humberto Aidar (MDB), que já havia dito que não aceita pressão externa e que o relatório da CPI dos incentivos fiscais sairá na hora em que ele “entender que é correta”, declarou que não é inteligente por parte dos empresários atacar a Comissão, e que, nessa queda de braço, eles são a “parte mais fraca”.

Aidar fez o comentário durante sua fala sobre a reação negativa do empresariado quanto à CPI dos incentivos. Segundo ele, ao atacar a CPI e a Assembleia Legislativa, os empresários “não contribuem em nada”.

“Essa queda de braço de braço, penso, a parte mais fraca são os empresários! Aqui nós aprovamos leis, mudamos, revogamos, e aqui nenhum deputado depende de nenhum empresário”, argumentou.

O parlamentar também chegou a dizer que o entendimento de irregularidades na concessão de incentivos fiscais parte de órgãos como o próprio Ministério Público. “O MP entende que tem falha [na concessão de incentivos], e que o Estado não pode dar mais de 500 milhões para no máximo dez empresas sem uma contrapartida”, disse. Aidar afirma que o relatório final da CPI será “eminentemente técnico”, e que vai mostrar se as contrapartidas dos empresários estão, de fato, sendo cumpridas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.