Na esperança de ter espaço na chapa de Caiado, Zacharias Calil e Lissauer Vieira comentam decisão do TSE de permitir candidaturas independentes

“Eu vejo que isso pode beneficiar candidatos que tenham maior densidade eleitoral”, disse Calil

Atual deputado federal e na corrida para conseguir concorrer ao Senado na chapa do governador Ronaldo Caiado (UB), Zacharias Calil (UB) afirmou que a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é benéfica para pré-candidatos com maior densidade eleitoral. A Justiça Eleitoral aprovou a possibilidade de partidos lançarem candidaturas ao Senado independentes da coligação no âmbito do governo estadual.

Em Goiás, além de Calil, outros quatro nomes disputam espaço para concorrer na base do governador: Lissauer Vieira (PSD), Delegado Waldir (UB), Alexandre Baldy (Progressistas) e Luiz do Carmo (PSC).

Ao Jornal Opção, Calil destacou o interesse no Senado, independente de coligação, e comemorou a decisão do TSE. “Achei importante e democrático que a população possa ter o direito de votar no candidato que achar melhor, independente do candidato do governo que sempre esteve nessa situação de chapa majoritária, com escolhidos por eles. Eu vejo que isso pode beneficiar outros candidatos que tenham maior densidade eleitoral. Nós do União Brasil vamos trabalhar para que isso ocorra”, disse o deputado estadual, que apresentou 10,1% nas intenções de voto para o Senado na última pesquisa do Instituto Paraná. “Eu ainda não estou em campanha, mas vi que nessa última pesquisa do Instituto Paraná eu cresci bastante e, diferente dos outros que já estão em pré-campanha há algum tempo, essa pontuação está praticamente em terceiro lugar”, completou.

Já Lissauer Vieira reforçou que será candidato independente de coligação, como já havia dito durante a visita à Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) do presidente nacional do Partido Social Democrático (PSD), Gilberto Kassab (PSD). Na ocasião, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ainda não havia deliberado sobre a questão. 

“Vou fazer aqui uma convocação para que o Lissauer seja candidato qualquer que seja o modelo que o TSE definir. Respeitando os demais nomes, mas mesmo que tenha um, dois, três ou mais candidatos, eles vão saber que sairão para perder porque nós sabemos que você, Lissauer, será o mais votado”, provocou Kassab. Em resposta, Lissauer afirmou que tem compromisso com o partido: “Essa é uma missão dada pelos nossos presidentes do partido e por toda a nossa militância. Obviamente que vamos continuar defendendo uma sintonia dentro da base, mas o PSD tem pré-candidato ao Senado da República em qualquer situação, seja na base, independente, avulso, do jeito que for nós estamos juntos e eu preciso de vocês para vencer essa batalha”, declarou. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.