Na Alego, Lissauer tenta apaziguar ânimos após confusão entre parlamentares

No entanto, discusão na presidência da Casa quase terminou em agressão. Seguranças foram chamados

O presidente da Assembleia Legislativa Lissauer Vieira (PSB) falou ao Jornal Opção sobre os possíveis desdobramentos da confusão envolvendo parlamentares na sessão desta quinta-feira, 11. Lissauer disse que nada foi feito ainda e que busca o caminho do entendimento e equilíbrio entre os parlamentares da Alego. Ele já conversou com os deputados Amauri Ribeiro (PRP), Cláudio Meirelles (PTC) e Lêda Borges (PSDB), para tentar apaziguar os ânimos na Casa. _Jornal Opção
Foto: Francisco Costa | Jornal Opção

O presidente da Assembleia Legislativa Lissauer Vieira (PSB) falou ao Jornal Opção sobre os possíveis desdobramentos da confusão envolvendo parlamentares na sessão desta quinta-feira, 11. Lissauer disse que nada foi feito ainda e que busca o caminho do entendimento e equilíbrio entre os parlamentares da Alego. Ele já conversou com os deputados Amauri Ribeiro (PRP), Cláudio Meirelles (PTC) e Lêda Borges (PSDB), para tentar apaziguar os ânimos na Casa.  

“Conversei com os três parlamentares para tentar um entendimento, pois esse tipo de situação é ruim para a Casa. Acredito que o debate de ideias não deve ser assim, é preciso ter respeito”, disse Lissauer. No entanto, caso receba representações por parte de Lêda ou Cláudio contra Amauri, o presidente da Alego afirmou que irá analisar com cautela.

Lissauer Vieira também explicou que irá se reunir com a mesa diretora no inicio da próxima semana para discutir o assunto. “Quero apaziguar a situação para que não tenhamos mais problemas, por isso estou trabalhando para trazer equilíbrio e resolver tudo de forma amigável”, apontou.

Entenda

Tudo começo com um desentendimento entre os dois parlamentares na sessão realizada na quarta-feira,10, após Amauri ter o microfone cortado por Claúdio, que presidia a sessão. Na quinta-feira, 11, os dois discutiram e Amauri chamou o colega de “prostituta do Poder”. Em seguida, Amauri disse que Lêda Borges (PSDB), “só fica chiando”. A colega pediu respeito e a confusão instalou-se, fazendo com que o presidente da Casa encerrasse a sessão.

No entanto, a troca de ofensas continuou na presidência, ocasião em que o deputado Amauri teve que ser contido por seguranças ao tentar partir para as vias de fato com o deputado Cláudio Meirelles.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.