A prefeitura de Luziânia deve realizar, até o final do Opera Luziânia, mais de 60 mil cirurgias eletivas. O trabalho teve início na terça-feira, 7, com um investimento de aproximadamente R$ 25 milhões. O prefeito Diego Sorgatto aponta que com o aumento do investimento, a meta é ultrapassar os mais de 9 mil procedimentos “tanto em relação aos números, como na boa recuperação dos pacientes”.

O gestor apontou ainda nos primeiros dias do mutirão serão priorizados os pacientes que estão na fila de espera. “Mas nosso objetivo é zerar a fila desses procedimentos, garantindo assim mais qualidade de vida aos pacientes”, afirmou.

Para ser atendido pelo programa Opera Luziânia, é necessário procurar uma Unidade de Saúde para se inscrever. O mutirão terá ações em Luziânia e no Jardim do Ingá.

As cirurgias disponíveis serão: Hernioplastia (umbilical, inguinal e epigástrica), Colecistectomia (pedra na vesícula) Histerectomia (retirada do útero), Laqueadura Tubária. Vasectomia e Ooforectomia (retirada de ovário).

Além dos recursos próprios do município, o programa contou com emendas parlamentares do deputado federal Célio Silveira, além de emendas dos deputados Wilde Cambão, Eduardo Braga e Zé da Imperial.

Leia também:

População de Luziânia tem sessões gratuitas de cinema

Luziânia é primeira cidade do Estado a assinar Plano Municipal pela Primeira Infância