Mutirama será reaberto sem quiosques e permissionários seguem na luta

Estabelecimentos estão fechados há dois anos desde a interdição do parque e ainda não sabem quando voltarão, já que a prefeitura convocou nova licitação 

Francisco Costa e Luiz Phillipe Araújo

Após dois anos de reparos motivados por acidente, a Prefeitura de Goiânia vai reabrir o parque Mutirama neste sábado, 29. No entanto os quiosques permanecem fechados e permissionários não sabem quando retornam às atividades, já que o Paço convocou um novo processo licitatório.

O espaço, que completa 50 anos em novembro deste ano, ficou fechado por dois anos após um grave acidente em julho de 2017, que deixou 13 pessoas feridas. De lá pra cá a gestão do Município optou por mudanças como a interdição do brinquedo onde ocorreu o acidente, além da revisão dos contratos com permissionários que trabalhavam na venda de produtos dentro do parque.

Segundo a Prefeitura os antigos 36 permissionários atuavam “com contratos precários”. Com isso, a administração municipal, por meio de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado com o Ministério Público (MP), retirou os comerciantes de lá. Acontece que o novo processo de licitação proposto pela gestão Iris prevê apenas 26 estabelecimentos, ou seja, dez a menos.

Projeto

No inicio deste mês a Câmara Municipal aprovou em definitivo o projeto de Lei que estabelece critérios para o processo licitatório que permite o uso e exploração de atividades econômicas no Parque Mutirama, ficando previsto que os antigos permissionários terão mais um ano para se adequarem ao processo. Apesar disso o prefeito ainda não se manifestou sobre a matéria.

Ao Jornal Opção um dos líderes dos permissionários, Francisco Carlos, conhecido como Carlão do Mutirama, disse esperar que o prefeito se manifeste até o fim da semana. Carlão destacou que a Prefeitura não ofereceu aos usuários do parque uma alternativa viável para acesso à alimentação durante a visita, já que até o fim do processo proposto pelo Município os quiosques estarão fechados.

“O que nós estamos esperando é a aprovação do prefeito. Nós não somos contra o novo processo de licitação, mas queremos ter condições de competir, por isso o projeto prevê mais um ano. No momento não temos condições de participar”, disse o trabalhador.

Crea

A reportagem procurou o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-GO), Francisco Almeida, para tratar sobre o assunto, mas o mesmo, conforme assessoria, aguarda o “envio de documentos” para se pronunciar.

Vale destacar que, no começo deste mês, Almeida garantiu que o parque só seria liberado após o aval do Crea. À época, Francisco disse que o órgão esteve lá e fez um diagnóstico, com acompanhamento de um engenheiro mecânico, e que a expectativa era que o Mutirama fosse aberto em 12 de outubro, Dia das Crianças. “Não é só brinquedo, é tudo”, falou na ocasião.

Prefeitura

“Os últimos ajustes para receber o público com o máximo de segurança e conforto estão sendo realizados pela agência municipal de Turismo Eventos e Lazer (Agetul), responsável pelo espaço. A reinauguração terá presença de alunos da rede municipal de ensino”, diz trecho do texto da prefeitura.

Em relação ao brinquedo que teve uma falha em 2017, o Twister, este foi desativado, assim como sua torre. Com o acidente, 13 pessoas ficaram feridas.

Ainda conforme dados da administração municipal, foi realizado um processo seletivo para a contratação de 100 novos funcionários, que passaram por treinamento para a reabertura do parque, que terá novos bancos, lixeiras e para-raios, além de mesas.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.