Expositores, galeristas e artistas participam da maior feira de negócios em arte do Centro-Oeste. A 5ª edição da Feira de Arte Goiás funcionará no Museu de Arte Contemporânea no Centro Cultural Oscar Niemeyer até o próximo dia 28. 

Serão 23 expositores e galeristas presentes na feira como Arte Plena Casa Galeria (GO), Cerrado Galeria de Arte (GO), Aura Galeria (SP), Oca Goyaz Escritório de Arte (GO), Oto Reifschneider Galeria de Arte (DF), entre outros.

Stands de expositores, galerias, escritórios, coletivos de arte, espaços institucionais e parceiros de segmentos poderão expor suas peças.

Secretária de Cultura do Estado de Goiás, Yara Nunes, participou da inauguração do evento | Foto: Reprodução Fargo

A feira recebe um grupo de artistas, colecionadores, professores, diretores de instituições, arquitetos, designers, galeristas, curadores, jornalistas, influenciadores, estudantes e uma camada da sociedade interessada em colecionismo e cultura em geral.

Acessibilidade

Uma das preocupações da FARGO é que o evento mantenha suas características originais, inclusive o aspecto da acessibilidade e democratização das ações, voltadas para todos os públicos indistintamente. Essa inclusão passa pela percepção e senso de coletividade, premissa nos projetos da Arte Plena, responsável pela produção do evento. A avaliações de acervos e outros serviços contam com a expertise de seus diretores, Wanessa Cruz e Sandro Tôrres.  

“Além de fomentar as artes, como um todo, a feira também é pensada para contemplar a diversidade e oferecer um variado mix de atrações, como experiência social, transcendendo as artes visuais; além dos espaços de convivência (lounges), DJs e um café”, conta Wanessa.

Desde 2017, somando quatro edições anteriores, o evento recebeu presencialmente cerca de 25.000 pessoas e outras 50.000 acessaram o site na versão online desde 2021. A exemplo dos mais importantes eventos de arte neste formato pelo mundo, a FARGO se insere nesse lugar da responsabilidade com o setor das artes visuais no Estado. 

Para Sandro Tôrres, a expressiva participação de galerias e representantes de serviços e produtos para produção artística nas quatro primeiras edições fez com que a feira adquirisse o respaldo e a legitimidade junto aos profissionais do setor e também junto ao numeroso público visitante. “A FARGO, desde 2017, passou a ter um papel de importante relevância na consolidação desse ambiente favorável para a produção e os negócios em arte e atua diretamente no incremento dessas relações”, aponta Sandro.