Municípios avançam na vacinação e número de mortes cai

146 cidades já aplicaram doses em pessoas acima dos 18 anos e 20 cidades já vacinaram adolescentes acima dos 12


Aumenta pela segunda semana seguida o número de Municípios com falta de doses para vacinar a população. Nesta semana, 797 gestores municipais relataram não ter recebido imunizantes. A informação consta na 18ª edição da pesquisa sobre o cenário da Covid-19 no Brasil, 3181, ou 57,1%, dos municípios brasileiros participaram do levantamento que ocorreu de 19 a 22 de julho. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) verificou que mesmo com a falta de imunizantes, 146 cidades já aplicaram doses em pessoas acima dos 18 anos e 20 cidades já vacinaram adolescentes acima dos 12.

De acordo com a pesquisa, 79.9% (2.541) dos Municípios entrevistados, pretendem vacinar adolescentes a partir dos 12 anos – com as vacinas autorizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) -, e 11,4% (364) ainda não pretendem iniciar a vacinação desta faixa etária. Dos que responderam sobre a pretensão de vacinar a faixa etária abaixo dos 12 anos, 68,2% (1.746) afirmaram que só aplicarão a vacina nessa faixa, após a imunização de toda população acima dos 18 anos.

Outro dado importante da pesquisa da CNM é que em 1.689, ou 34,4%, dos Municípios não registraram mortes nesta semana. Desde a semana 15, quando a questão foi incluída no levantamento que esse número se mantém acima de mil Municípios sem registros de óbitos. Cerca de 527 gestores responderam que as mortes reduziram, ou seja, 16,6% dos respondentes; enquanto em 310 Municípios, ou 9,7%, esse número aumentou. Os óbitos ficaram estáveis nesta semana em 606, ou seja, 19,1%.

Nesta edição, 531 (16,7%) dos Municípios pesquisados declararam que houve aumento do número de pessoas infectadas, em 1.095 (34,4%) se manteve no mesmo patamar e em 1.310 (41,2%) houve diminuição no número de casos. A CNM demonstra preocupação com esses resultados, pois a manutenção de novos infectados em níveis altos está sendo apontada pela quarta vez consecutiva na pesquisa.

UTI e Kit intubação

A pesquisa também identificou queda na ocupação de leitos de UTI, como tem ocorrido nas últimas semanas. Nesta, a taxa de ocupação de UTIs entre 60% e 80% é a realidade da maioria dos Municípios, dos 3181 respondentes, 1.037 (32,6%) afirmaram estar nessa faixa. Nos levantamentos anteriores, eram, respectivamente, 830, 687 e 433 cidades nesta situação. Nesta semana, 4,1% estão com a capacidade acima de 95% e abaixo de 60% de ocupação foi a resposta de 25,5% dos Municípios.

Em 200 cidades ainda há risco da falta do chamado “kit intubação”, mas esse é um número que vem caindo semana a semana, na pesquisa. Em 84,8% dos Municípios (2.696) esse risco não existe. No final do estudo completo é possível analisar essa questão desde a primeira semana do levantamento.

Educação

Sobre o retorno presencial das crianças às aulas, a CNM questionou os Municípios sobre a previsão da abertura das escolas da rede pública de ensino. Na maioria, 1.226 (38,5%) dos Municípios, a previsão é que as aulas comecem em agosto, em 939 (29,5%) às aulas já recomeçaram, e em 563 Entes locais (17,7%) ainda não há previsão de retorno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.