Mundo vai sofrer déficit de 6 milhões de enfermeiros nos próximos dez anos

Estudo divulgado nesta terça-feira, 7, pela OMS prevê que profissionais estão envelhecendo, enquanto a população aumenta. Políticas de incentivo e aumento de salários devem ser adotadas para incentivar o crescimento em 8% dos profissionais formados por ano

Crescimento da população e envelhecimento de enfermeiros ocasionará déficit mundial de profissionais | Foto: Getty

Em relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) publicado nesta terça-feira, 7, a previsão é que o mundo sofra um déficit de 6 milhões de enfermeiros em um prazo de dez anos. Se nos 31 países mais ricos da OCDE haverá a falta desses profissionais – cerca de 3,2 milhões -, para os países mais pobres o impacto será ainda maior. É estimado que vá faltar pelo menos 7,6 milhões de enfermeiros nessas localidades de maior carência.

O estudo foi realizado em 191 países. Atualmente, o mundo conta com 27,9 milhões de profissionais que são essenciais no combate à pandemia do novo coronavírus. No entanto, de acordo com o estudo, 1 a cada 6 enfermeiros vai se aposentar nos próximos dez anos no mundo todo. O déficit nos países ricos é justamente porque esses enfermeiros estão envelhecendo. Esses países concentram 80% dos profissionais do mundo.

No entanto, é justamente nos países mais pobres que a população cresce mais rápido, gerando maior necessidade dessa força de trabalho. Com isso, o agravamento da situação é inevitável, a menos que se adote políticas de valorização profissional e aumento de salários que incentive mais pessoas a se formarem nessa área.

A previsão é que em dez anos, teremos cerca de 36 milhões de enfermeiros. O mundo precisa de 41,8 milhões destes profissionais. Ou seja, é preciso que o número de profissionais formados na área cresça 8% anualmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.