Mulheres do MST ocupam fazenda de João de Deus em Anápolis


ÔÇ£Contra a f├│rmula perversa de apropria├º├úo e concentra├º├úo de riqueza nas m├úos de poucos e a socializa├º├úo da mis├®ria e desigualdade “, diz integrantes do movimento

Foto: Reprodução

Nesta quarta-feira, 13, mulheres do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e do Movimento Campon├¬s Popular (MCP) ocuparam a fazenda do m├®dium Jo├úo de Deus. A propriedade agropastorial Dom In├ício fica em An├ípolis, entre os distritos de Souz├ónia e Interl├ónidia, no ienterior de Goi├ís.

A ocupa├º├úo faz parte da Jornada Nacional de Lutas das Mulheres Sem Terra que teve in├¡cio na ├║ltima semana e mobilizou todo o pa├¡s. A ├írea subjugada tem em torno de 600 hectares e est├í sub judice, ap├│s as acusa├º├Áes de abuso sexual contra o m├®dium, no ano passado.

Em seu site, o MST divulgou informa├º├Áes sobre a concentra├º├úo de terras por parte de Jo├úo de Deus. Em Goi├ís s├úo 27 registros de im├│veis em nome do ÔÇ£Jo├úo CuradorÔÇØ, destes, 23 est├úo na ├írea urbana, totalizando 19.725 m┬▓, e quatro na zona rural, com 703 hectares, o equivalente a 723 campos de futebol.

A justificativa para a tomada das terras, segundo as integrantes do movimento ├® seguir como parte da necessidade da luta permanente do atual momento em que vivemos. ÔÇ£Contra a f├│rmula perversa de apropria├º├úo e concentra├º├úo de riqueza nas m├úos de poucos e a socializa├º├úo da mis├®ria e desigualdade. Conta o atual governo que ao retirar direitos da mulher, nos oprime, nos violenta e nos mata. Contra o machismo e o patriarcado. Contra tudo o que nos cala, nos humilha e nos mata, seguimos, por todas n├│sÔÇØ, termina a publica├º├úo no site do MST.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.