“Muitos municípios estão em crise na saúde”, diz presidente da FGM sobre Mais Médicos

Haroldo Naves comemorou o sucesso das inscrições para o programa

Foto: ReproduçãoO presidente da Federação Goiana de Municípios, Haroldo Naves, enfatizou a relevância da complementação das 202 vagas do programa Mais Médicos em Goiás. “Os gestores municipais de algumas cidades não possuem condições financeiras de contratar outros profissionais, pois os recursos são escassos. Os médicos designados pelo governo federal são as únicas opções de atendimento”, destacou o presidente da FGM.

“Estamos extremamente satisfeitos com a adesão dos médicos, agradecemos o empenho do Ministério da Saúde, na pessoa do Ministro Gilberto Occhi, que atendeu ao pedido das entidades municipalistas e rapidamente procurou solucionar o problema em questão”, comemorou Haroldo Naves sobre o novo edital.

As menores cidades e comunidades como os calungas são as mais prejudicadas com a falta de profissionais de saúde, pois esses locais muitas vezes contam com apenas um médico, o que prejudica o atendimento da população. “Muitos municípios estão em crise na saúde por causa da saída dos médicos cubanos. A preocupação dos prefeitos é que os clínicos façam a inscrição, mas no momento de assumir o posto de trabalho não fiquem”, ponderou o líder da FGM.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.