“Mudanças nas relações de trabalho fazem reforma ser necessária”, diz Daniel Vilela

Presidente da comissão da Câmara que estuda matéria, deputado goiano ressalta que há convergência com centrais sindicais sobre necessidade de mudanças

Comissão Especial da Reforma Trabalhista é presidida por deputado goiano | Foto: Gilmar Félix / Câmara dos Deputados

O presidente da Comissão Especial da Reforma Trabalhista da Câmara Federal, o deputado goiano Daniel Vilela (PMDB) defendeu que a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) precisa de mudanças. “As relações de trabalho mudaram, são totalmente diferentes daquelas da época da constituição da CLT, então é preciso avançar nesse sentido”, pontuou.

Em entrevista recente ao Jornal Opção, o deputado federal ressaltou que há uma convergência com as centrais sindicais em relação à Reforma Trabalhista. “O [deputado e presidente da Força Sindical] Paulinho [da Força, SD] reconheceu a importância do projeto e os pontos que foram apresentados”, exemplificou.

O parlamentar afirmou que é importante fortalecer as Câmaras de Conciliação e fazer uma parametrização dos julgamentos da Justiça do Trabalho, citando o caso de uma ação trabalhista individual contra uma instituição bancária que foi condenada a pagar R$ 800 milhões para o ex-funcionário.

Ele lembrou, ainda, que durante as discussões do tema são ouvidas diversas categorias, como a Justiça do Trabalho, o Ministério Público do Trabalho, as centrais sindicais e as patronais.

O peemedebista também afirmou que o projeto de lei que dispõe sobre a terceirização e as relações de trabalho deve ser votado em breve, antes mesmo da Reforma Trabalhista. “[A proposta] já está na Câmara pronta para ser votada no Plenário. A Reforma Trabalhista, como há um consenso maior, também deve ser votada antecipadamente. Já a Previdenciária, que enfrenta um debate um pouco mais exaltado, deve ficar para o final de abril, ou início de maio”, disse.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.