Mudança editorial revoluciona jornalismo e transforma novas TBC e RBC em referência

Interatividade, integração de mídias, jornalismo ao vivo, prioridade para a notícia local e comunitária e apartidarismo definem a linha de atuação das novas TBC e RBC

Divulgação/TBC

Exatos dois meses depois de começar a ser implantada pelo presidente da Agência Brasil Central (ABC), a nova linha editorial dos veículos de comunicação do Governo de Goiás já se tornou referência no Estado e fora dele. As novas TBC e RBC, que receberam investimentos de R$ 27 milhões para modernização e digitalização pelo governador Marconi Perillo, estão movimentando o mercado jornalístico, dando visibilidade aos ótimos profissionais de seus quadros e mostrando que o conteúdo produzido nem de longe precisa ser “chapa branca”.

É isso que atesta a decisão da nova TBC, respaldada pelo governador Marconi Perillo e pelo vice José Eliton, de fazer a cobertura das prefeituras administradas por partidos de oposição e de levar para o Roda de Entrevista, seu principal jornalístico, políticos como o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, o ex-prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela, o deputado estadual José Nelto (todos do MDB) e o vereador Jorge Kajuru (PRP).

A regra é válida também para o Mundo em Sua Casa, principal programa da RBC. A revolução na linha editorial das novas TBC e RBC são resultado da compreensão do presidente da ABC de que também os veículos públicos devem estar sintonizados com o mercado editorial das emissoras comandadas por grupos privados. “A popularização da internet e dos smartphones muda completamente a forma como as pessoas recebem e interagem com a notícia. Essa mudança exige de todos os veículos de comunicação alterações muito profundas no relacionamento com a audiência”, diz o presidente das novas TBC e RBC.

“A audiência não se contenta mais em receber as informações. Ela quer pautar as matérias, quer interferir na condução do conteúdo e se não for atendida em uma emissora ela vai procurar outra”, diz João Bosco Bittencourt. Por isso, explica, a interatividade é o centro da nova linha editorial das emissoras. O objetivo é ouvir a opinião dos ouvintes e dos telespectadores, compreender a demanda deles por conteúdo e incluí-los na tomada de decisões.

Promover a interatividade, no entanto, não é tarefa simples e não se resume a abrir os canais de diálogo com a audiência, diz o presidente das novas TBC e RBC. É preciso fazer com que os espectadores se sintam de fato parte da programação, criar uma dinâmica de intimidade com eles. Daí os vídeoselfies, em que os repórteres “conversam” com os ouvintes e telespectadores, estimulando a participação, diariamente. O modelo deu tão certo que até outras emissoras copiaram o formato.

Outra inovação de destaque da nova programação é a expansão radical da programação local e ao vivo. Apesar de afiliada da TV Cultura, a ABC tem maior liberdade para ampliar o jornalismo e os programas de entretenimento – ao contrário de afiliadas das televisões chamadas comerciais. Por determinação de João Bosco, as novidades mais importantes merecem sempre o vivo, não apenas as ações do governo estadual, mas também da Prefeitura de Goiânia e do governo federal, por exemplo.

A programação local, por exemplo, não se resume à cobertura da capital e do seu entorno. A meta das novas TBC e RBC é ampliar sua rede de correspondentes, colocando no ar os principais âncoras e jornalistas de rádios e televisões espalhadas pelo interior. Neste sábado, 31, a ABC e a TV Sucesso de Rio Verde, por exemplo, assinaram um termo de cooperação que permite que as emissoras repliquem seus conteúdos a qualquer tempo, conforme o interesse jornalístico.

“Com a internet, não há mais um modelo estático de jornalismo. Não há mais o jornalismo feito para a televisão. É preciso pensar o conteúdo de forma integrada, estar presente em todas as plataformas”, diz João Bosco. Por isso fazemos questão da parceria com outras emissoras, de abrir espaço para que outros veículos contem para nossos espectadores o que eles estão fazendo. Isso é, sem dúvida alguma, benéfico para todos”, afirma.

AS MUDANÇAS EDITORAIS NAS NOVAS TBC E RBC

Interatividade
Os espectadores opinam e participação da produção do conteúdo jornalístico

Integração
Televisão, rádio, impresso e internet são um único meio e plataforma e as notícias circulam e todos eles

Jornalismo ao vivo
Prioridade para o tempo real, na hora em que a notícia acontece

Conteúdo local
A notícia local é a mais importante, por isso a meta é ampliar cada vez mais o time de correspondentes

Apartidarismo
O Governo de Goiás não é a única fonte de informação, nem os partidos e líderes da base aliada são os únicos políticos com voz. A oposição e suas áreas administrativas têm vez, e com equilíbrio

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.