MPF quer maior transparência em concursos para contratação de professores na UFG

Segundo órgão, Federal goiana não teria publicado notas de provas escritas em processo seletivo anterior

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO) recomendou neste mês à Universidade Federal de Goiás (UFG) que adote as medidas necessárias para garantir, nos próximos concursos públicos que vier a realizar para contratação de professores, a divulgação pública das notas de todos os concorrentes, discriminadas por prova e etapa, a fim de garantir o respeito à ordem de classificação e possibilitar o controle do certame pela sociedade.

De acordo com a recomendação, a UFG não publicou as notas das provas escritas do concurso público para o cargo de professor do magistério superior, na área de “Metodologia do Ensino da Dança e Estágio Curricular, regido pelo Edital UFG nº 75/2014.  Segundo o órgão, apenas o resultado final do certame fora divulgado durante sessão pública, quando envelopes lacrados foram abertos com a nota final atribuída aos candidatos por cada membro da banca examinadora.

Para o procurador da República Marcello Wolff, autor da recomendação, a não publicação das notas específicas, referentes a uma das fases mais importantes de um concurso público – a prova escrita –, compromete a ampla publicidade que deve nortear a realização desse tipo de processo seletivo. “

Os processos de seleção pública são frustrados quando há a possibilidade de selecionar candidatos segundo critérios pessoais, subjetivos e ímprobos”, esclarece Wolff. A UFG tem o prazo de 10 dias para informar sobre o acatamento ou não da Recomendação.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.