MPF instaura inquéritos civis para apurar cortes de verba da UFG, IFG e IF Goiano

Bloqueios foram realizados por meio dos Decretos nº 9.741/2019 e nº 9.725/2019 respectivamente

Faculdade de Ciências Sociais da UFG | Foto: Reprodução

Após o bloqueio de 30% das verbas e da extinção de cargos pelo Ministério da Educação (MEC), o Ministério Público Federal (MPF) instaurou três inquéritos civis, nesta sexta-feira, 3. Estes visam apurar os impactos ao direito à educação dos alunos da Universidade Federal em Goiás (UFG), do Instituto Federal de Goiás (IFG) e do Instituto Federal Goiano (IF Goiano).

Estes bloqueios foram realizados por meio dos Decretos nº 9.741/2019 e nº 9.725/2019, respectivamente. O MEC informou que estas valerão para todas as instituições federais do País. Anteriormente, os cortes tinham sido anunciados à UNB, UFF e UFBA com a justificativa de promoção de “balbúrdia” em seus campi, mas na quarta-feira, 1, a decisão do governo federal foi estendida as demais.

Danos

Mariane Guimarães, procuradora da República, afirma que essas medidas causarão danos aos atuais e futuros alunos. “Somente na UFG, o bloqueio é de aproximadamente R$ 32 milhões”, pontua. A unidade já disse que o ano letivo pode ser comprometido e os laboratórios de pesquisa  e o restaurante universitário, afetados.

Por solicitação do MPF, as instituições goianas citadas devem informar, em 15 dias, acerca dos cargos comissionados extintos e seu quantitativo, além da natureza e eventual listagem, com seu valor individualizado mensal e anual. Conforme o Ministério Público Federal, também será necessário detalhar se haverá comprometimento nas atividades administrativas e acadêmicas e no fomento aos projetos de ensino, pesquisa, extensão, empreendedorismo e inovação, com tais cortes.

Da mesma forma, MEC e Ministério da Economia foram oficiados para responder, também em 15 dias, sobre as razões dos cortes. O MPF pede que as pastas explicitem se houve estudo prévio de impactos e que informem sobre os resultados desta análise acerca dos cargos em comissão e funções de confiança do Poder Executivo federal. Conforme indicado no item 2 da Exposição de Motivos ao Decreto nº 9.725/2019, estes foram feitos em 2017 e 2018.

(Com informações do MPF)

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ana Paula Guedes de Medeiros

Esse governo está fazendo cada besteira… Aonde vamos parar?
Saúde… Brasil sem médicos
Educação… Brasil sem estudo