MPDFT pede pena de 24 anos de prisão para Arruda e Paulo Octávio

Promotores apresentam alegações finais na ação sobre pagamento de propina pela empresa de informática B2BR investigada na Caixa de Pandora

Ex-governador do DF, José Roberto Arruda | Foto: Roosewelt Pinheiro/Abr (31/12/2006)

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Federal e Territórios pediu a condenação do ex-governador José Roberto Arruda e do ex-vice-governador Paulo Octávio por corrupção passiva.

O pedido faz parte da finalização do processo da Operação Caixa de Pandora, que apurou esquema de corrupção no Distrito Federal. Os promotores que apuraram o caso pedem 24 anos e sete meses de reclusão para Arruda e Paulo Octávio.

O processo em questão é específico para o esquema que envolveu a empresa B2BR, que garantia contratos de forma indevida na área de informática com o governo do Distrito Federal.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.