MP pede abertura de inquérito policial por supostas fraudes em licitações na Comurg

Órgão também fará investigação dos contratos de fornecedores de materiais que estariam desviando dinheiro da companhia de urbanização

O Ministério Público do Estado de Goiás abriu inquérito para apurar denúncias de supostas fraudes em licitações em contratos celebrados entre a Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) e empresas fornecedoras de material.

Na abertura de inquérito, o promotor de Justiça Fernando Krebs tbm solicitou à Delegacia Estadual de Repressão a Crimes contra a Administração Pública (Dercap) a instauração de inquérito policial para apurar possível prática do crime de corrupção ativa.

Segundo denúncia, seis empresas pertencentes a um mesmo dono e seus parentes atuavam como laranjas, assinando contratos de fornecimento de materiais na quantidade incorreta, além de casos de assinatura pelo recebimento dos materiais sem que os mesmos tivessem sido entregues. Segundo o promotor responsável, também será apurado se suposta prática ilícita é recorrente no órgão.

Inicialmente, Krebs requisitou à Comurg cópia de todos os contratos e pagamentos feitos às empresas citadas na representação. Após o recebimento, o promotor adianta que vai solicitar à Controladoria-Geral do Município e ao Tribunal de Contas do Município uma auditoria nesses documentos.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.