MP Eleitoral em Goiás representa contra pré-candidatos ao Governo de Goiás

O motivo das representações é a prática de propaganda eleitoral antecipada

O Ministério Publico Eleitoral (MP Eleitoral) em Goiás, com assinatura do procurador Alexandre Moreira Tavares dos Santos, protocolou três representações eleitorais contra o senador e pré-candidato ao governo de Goiás Ronaldo Caiado (DEM), o senador e pré-candidato à reeleição Wilder Morais (DEM), o governador de Goiás e pré-candidato à reeleição, José Eliton (PSDB), e o deputado federal e pré-candidato ao governo de Goiás Daniel Vilela (PMDB). Os indicados foram acusados de prática de propaganda eleitoral antecipada.

De acordo com as representações, Ronaldo Caiado e Wilder Morais fizeram propaganda eleitoral antecipada em razão do pedido explícito de votos feito por Caiado em favor do senador Wilder durante a 3ª Cavalgada GP MUARES, ocorrida em Morrinhos (GO) em abril. As assessorias dos dois informaram em nota que eles ainda não foram notificados.

O governador José Eliton, por sua vez, fez uma postagem em vídeo em setembro de 2017, enquanto ainda vice, o que motivou a representação. De acordo com o procurador, o referido vídeo, postado em seu perfil, trata-se de campanha. De acordo com o governador, todo o seu material de divulgação é acompanhado por um corpo jurídico.

Ao deputado federal e pré-candidato ao governo de Goiás, o MP Eleitoral pede a condenação por conta de um veículo que circula pelas ruas de Itaberaí (GO) com um adesivo afixado no vidro traseiro, em que o nome de Daniel Vilela está em destaque, com as cores de seu partido e com o slogan “Goiás precisa e conta com o seu trabalho”.

Em nota, a assessoria de Daniel diz que Daniel “não teve conhecimento da confecção do adesivo e nem da sua exibição em veículo de empresa ou particular”. “Tudo indica que trata-se de uma manifestação espontânea de apoio de um eleitor, sem qualquer participação do deputado ou de sua assessoria”, diz o comunicado.

Nas representações, o MP Eleitoral pede liminar que determine a retirada do vídeo de José Eliton do Facebook, bem como a retirada do adesivo com o nome de Daniel Vilela do veículo automotor. Todos estão sujeitos à condenação ao pagamento de multa que varia entre R$ 5 mil a R$ 25 mil, ou ao equivalente ao custo da propaganda, se este for maior.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.