MP apura denúncia contra vereador e prefeitura de Goiânia por improbidade administrativa

Kleybe Morais, que também é servidor, teria sido cedido a uma instituição, onde supostamente não cumpria suas atividades funcionais

Kleybe Morais (DC) | Foto: Arquivo

O Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) instaurou um procedimento preparatório para apurar denúncia contra o vereador Kleybe Morais (DC) e a Prefeitura de Goiânia por suspeitas de improbidade administrativa e enriquecimento ilícito. Isso, porque o parlamentar, que também é servidor, recebeu da administração municipal, em 2016, R$ 240 mil — valor que levantou suspeitas no órgão fiscalizador.

A denúncia se deu por meio de uma representação anônima do MP, acolhida pela promotora Villis Marra. De acordo com o relato, Kleybe, enquanto servidor da Secretaria Municipal de Governo, teria sido cedido ao centro de recuperação de alcoólatras de Goiânia, a União Nacional de Cereas (Uni Cereas).

No entanto, a instituição funciona apenas nos períodos noturnos, às quartas e aos domingos, o que indicaria que o servidor estaria recebendo a remuneração de seu cargo sem cumprir suas atividades funcionais. De acordo com o portal da transparência, além do salário de vereador, Kleybe recebe R$ 16.301,69 como funcionário público.

Ainda de acordo com a denúncia, o Uni Cereas não mantinha convênio com a Prefeitura de Goiânia. O que, na interpretação da promotora, poderia configurar indícios de irregularidades na cessão de Kleybe à instituição.

Além disso, em 2016, ele recebeu da Prefeitura R$ 240 mil como título adicional de ‘titulação e aperfeiçoamento’. O valor chamou a atenção do MP, que requer esclarecimentos.

Encaminhamentos

Segundo Villis Marra, se os fatos forem comprovados podem ser caracterizados como atos de improbidade administrativa e enriquecimento ilícito.

Com isso, o vereador foi notificado e o MP solicitou à Prefeitura informações sobre as denúncias e o valor recebido por Kleybe para aperfeiçoamento.

Em entrevista ao Jornal Opção, o parlamentar negou as acusações e disse que essa e outras denúncias são feitas por pessoas que não aceitam seu crescimento político. “É algo descabido. Já estive no MP e prestei esclarecimento de cada ponto com documentação e com testemunha. Apesar de ser triste, estou tranquilo no sentido jurídico. Eu sei que vão ter mais denúncias, mas sempre vou me defender”, disse.

A reportagem entrou em contato com a prefeitura e aguarda posicionamento.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.