Movimentos sociais manifestam solidariedade a ativista agredido pela polícia

A nota faz desagravo a Denizar de Oliveira, que foi espancado por PMs que invadiram sua casa na noite de 27 de setembro

 

O Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduíno e o Movimento Nacional da População em Situação de Rua de Goiás (MNPR – GO) divulgaram uma manifestação pública em solidariedade ao defensor de direitos humanos e integrante da coordenação estadual do movimento, Denizar de Oliveira, brutalmente agredido por oito policiais militares que invadiram sua casa na noite de 27 de setembro.

De acordo com a nota, Denizar de Oliveira foi surpreendido enquanto dormia por um espancamento violento, que apenas cessou porque alguém esbarrou em uma lâmpada, que se acendeu. “Não está claro o motivo da ação policial e não foi encontrado o seu registro oficial em consulta realizada no dia 30 de setembro de 2021”.

Os movimentos sociais consideram a ação ilegal, pela ausência de mandado judicial, invasão de domicílio e agressão física. “Exigimos que sejam adotadas todas as providências cabíveis para garantir a apuração de todos os fatos, a identificação e punição dos culpados”, diz o documento.

“A Polícia Militar de Goiás está fora de controle, chegando a atingir até integrantes de entidades oficiais da própria estrutura do Estado. O ataque violento sofrido pelo defensor é um ataque também ao Ciamp Rua – GO [Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento de Políticas para a População em Situação de Rua do Estado de Goiás] e a todas as entidades governamentais e não governamentais que o compõem e trabalham para garantir políticas públicas e os direitos de todas as pessoas em situação de rua”. O MNPR ocupa hoje a presidência do comitê.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.