O gás é produzido por animais ruminantes. Ele é responsável por 30% do aquecimento do planeta 

Vice-presidente Hamilton afirmou nesta quarta-feira, 3, que o Brasil terá que reduzir o metano produzido no país | Foto: Reprodução

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou nesta quarta-feira, 3, no Palácio do Planalto, que a pecuária brasileira terá que se adaptar para que o país consiga cumprir o compromisso, firmado na COP-26, de redução de 30% do gás metano até 2030. 

“A questão do metano está ligada aos excrementos da pecuária, principalmente. Nós temos um rebanho bovino enorme. Vai ter que haver uma adaptação, um planejamento para isso. Já existem empresas que fazem a mitigação dos dejetos do gado”, apontou.

Mourão afirmou ainda que a meta não será um problema. Segundo ele, muitos produtores já adotam medidas para diminuir a emissão do gás.“Temos um prazo para irmos nos adaptando. Grande parte dos produtores já trabalha no sentido de fazer a coleta dos dejetos e consequentemente depois a queima dos mesmos de forma que não contamine a atmosfera.”

Pressão

Por pressão dos Estados Unidos, o Brasil e mais 100 países reunidos na COP-26 assinaram ontem o documento para que a redução aconteça. 

O metano tem como fonte as minas de carvão a céu aberto e a pecuária. O gás é produzido por animais ruminantes, como bois e ovelhas, e vai se acumulando no rúmen, um dos quatro estômagos dos bichos, até sair pela boca — como um arroto.

O gás tem um efeito estufa cerca de 80 vezes mais forte que o dióxido de carbono (CO2), e é responsável por 30% do aquecimento do planeta desde o período da Revolução Industrial, segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. 

Fonte: Correio Braziliense