Mourão considera “ato de censura” decisão de ministro do STF

Vice-presidente da República se posicionou sobre retirada de reportagens do ar e cumprimentos de mandado de busca e apreensão na casa de críticos da Corte

Vice-presidente da República, Hamilton Mourão / Foto: Pedro Ribas/ANPr/Divulgação

Após retirada de reportagens publicadas pela revista Crusoé e pelo portal de notícias O Antagonista do ar, além das buscas e apreensão na casa de pessoas que teriam ofendido o Supremo Tribunal Federal (STF), o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, se posicionou sobre a postura do Supremo e considerou que o “bom senso” não tem prevalecido.

Mourão, comentou, nesta quinta-feira, 18, as investidas contra jornalistas e pessoas que supostamente ofenderam a Corte nas redes sociais.

A medida do STF foi tomada para inibir a manutenção de reportagens que revelaram a suposta menção ao presidente da Corte, Dias Toffoli, em um e-mail do empresário e delator na Operação Lava Jato, Marcelo Odebrecht.

A represália foi encabeçada pelo ministro Alexandre de Moraes a mando do presidente do Supremo. Foram realizadas, ainda, buscas e apreensão na casa de oito pessoas na intenção de apurar as supostas ofensas e ameaças disseminadas nas redes sociais contra a Corte. Em entrevista, Mourão considerou a postura Supremo como um “ato de censura”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.