Motorista infrator ameaça agentes de trânsito com arma de fogo

Homem, que ainda não foi identificado, retirou a chave da ignição da viatura da SMT e fugiu do local com blocos de multas

Dois agentes de trânsito da Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT) foram ameaçados com uma arma de fogo, na manhã da última terça-feira (15/9), por um motorista infrator. Segundo informações da Prefeitura de Goiânia, o homem não identificado retirou a chave da ignição da viatura e fugiu do local com três blocos de multas.

O episódio se deu durante serviço rotineiro de autuação por estacionamento irregular na Rua Jaraguá, em Campinas. Os agentes de trânsito registraram boletim de ocorrência no 5° Distrito Policial, ainda na terça-feira.

Em nota, a prefeitura informou que os servidores encontraram o auto de infração nas proximidades da ocorrência, o que possibilitará a identificação do autor da ameaça. O secretário da SMT, Andrey Azeredo, entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás (SSP-GO), que atendeu prontamente o pedido de cobrar a apuração dos fatos para que o responsável pelas ameaças seja identificado e punido.

11 respostas para “Motorista infrator ameaça agentes de trânsito com arma de fogo”

  1. Avatar Epaminondas disse:

    Quem sabe agora os agentes do SMT passem a cuidar do trânsito ao invés de serem meros agentes de arrecadação.

    • Avatar Assessoria de Comunicação -SMT disse:

      Olá, Epaminondas. Os agentes de trânsito estavam exercendo exatamente essa função de cuidar do trânsito, como bem mencionou, autuando motorista que estaciona seu veículo em local proibido. A multa é apenas uma penalidade para quem desrespeita as leis de trânsito e cabe ao agente de trânsito aplicá-la dentro da lei. Quem sofre mesmo são os outros condutores que, além de perderem ainda mais tempo no trânsito por conta de alguém que não respeita às leis de trânsito, ainda correm o risco de acidentes. Isso, sim, é o maior problema quando não se respeita o Código de Trânsito Brasileiro. E nada, absolutamente nada, justifica uma violência, sendo ela uma autoridade de trânsito que exerce o seu papel de forma digna e correta ou qualquer outra pessoa. A Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT) não está preocupada em “multar”. A SMT está empenhada em promover a segurança no trânsito para as pessoas. A todas elas. Para que elas saem e retornem para as suas casas com vida. Esse é o propósito de todo trabalho realizado pela SMT e estamos à disposição para qualquer esclarecimento.

      Assessoria de Comunicação da SMT

      • Avatar Epaminondas disse:

        Eu poderia dar crédito, se não tivesse testemunhado, anos atrás, agentes da SMT até soltando fumaça em suas canetas multando aquela confusão que é o desembarque do aeroporto Santa Genoveva.

        A estrutura é caótica, mal dimensionada, tem que disputar espaço com taxistas, a ocupação do terreno foi feito de tal forma que ou você opta em pagar pelo estacionamento, estacionar longe ou simplesmente, estacionar em fila dupla. E o que fazia a SMT, auxiliando o trânsito? Não os vi orientando nenhum motorista. A única interação que vi foi anotando placas.

        E esta farra de arrecadação parou não porque a SMT mudou de atitude, mas porque foi lembrada que aquele trecho de rua é terreno da alçada federal.

  2. Avatar José Mariano disse:

    Não são so eles que estao se prestando a isso não, multam por estacionamento proibido sendo que nem eles respeitam, a lei diz preferencia de estacionamento não estacionamento irregular. Não para almoçar so em serviço, em goiania cansamos de ver viaturas paradas em cima de praças calcadas etc impedindo o transito de pedestres, eles deveriam ser os primeiros a respeitar pra depois cobrar

    • Avatar sabe tudo disse:

      Jose Mariano,
      Boa tarde
      Segundo o artigo 29 do CTB VII os veiculos de utilidade publica goza de livre parada e estacionamento. (Smt. Pm. Gcm.rotan.bombeiros etc). Vc teria coragem de falar para um pm da rotan q ele esta estacionado em local indevido? So reclaman da smt. Alias a smt nao tem helicoptero. Por isso transita e estacionam nas vias. Outra coisa: nao tem como atender uma ocorrencia deixando a viatura a 200, 300, 500 metros de distancia.

      • Avatar José Mariano disse:

        Isso se estiver em serviço mas não e isso que vemos por ai, mesmo fora de serviço eles estacionam em local proibido, sim tem livre parada quando em atendimento a uma ocorrência, não so o smt mas a Pm e todas as outras viaturas, mas horario de almoço não e em atendimento, ficar parado, em cima de praças, não e atendimento, parar em cima de calcadas atrapalhando pedestres quando vão tomar Aqua não e atendimento 90 por cento das vezes não estao em servico

      • Avatar José Mariano disse:

        “Segundo o artigo 29 do CTB, VII: os veículos destinados a socorro de incêndio e salvamento, os de polícia, os de fiscalização e operação de trânsito e as ambulâncias, além de prioridade de trânsito, gozam de livre circulação, estacionamento e parada, quando em serviço de urgência e devidamente identificados por dispositivos regulamentares de alarme sonoro e iluminação vermelha intermitente.”
        Isso e o que diz o código em completo não so a parte que interresa

      • Avatar José Mariano disse:

        Falaria sim se estivessem errados, pq eles iam me bater ou matar se eu falasse, ou iriam me prender, não devo nada pra justiça pra ficar com medo lei foi feita pra respeitar por quem quer que seja.

  3. Avatar wismar limiro disse:

    eu nunca vi um agente da smt ajudando a controlar o transito em local de acidente. lamento pelo ocorrido mais gostaria que alguém da empresa ou a própria prefeitura fise cem uma pesquisa sobre o trabalho deste agentes.
    a cidade fica feliz quando eles entram de greve pois so serve pra multa e multa..

    • Avatar sabe tudo disse:

      Boa tarde Wismar
      Com o fim do atendimento aos acidente de transito sem vitima, a smt nao faz in loco esse tipo de atendimento no local. Os envolvidos no acidente deverao acessar o site da prefeitura e fazer a ocorrencia on line.Outra coisa: o problema do brasileiro é nao conhecer as leis. O artigo 178 do ctb reza que os condutores de veiculos acidentados devem retirar os veiculos da via. Caso contrario estao cometendo infracao de transito. Pois bem….qualquer arranhaozinho os condutores deixam na via o veiculo.alem de tudo segundo o denatran para cada 1000 veiculo devera haver um agt de transito. Em gyn temos 1 milhao de veiculos para menos de 300 agente. Defict de 700. Ajuda ai….

      • Avatar José Mariano disse:

        Art. 29 – Veículos destinados a socorro de incêndio e salvamento, os de polícia, os de fiscalização e operação de trânsito e as ambulâncias

        Os veículos destinados a socorro de incêndio e salvamento, os de polícia, os de fiscalização e operação de trânsito e as ambulâncias, além de prioridade de trânsito, gozam de livre circulação, estacionamento e parada, quando em serviço de urgência e devidamente identificados por dispositivos regulamentares de alarme sonoro e iluminação vermelha intermitente.
        Consiste em autorização legal prevista no art. 29, VII do CTB, para que veículos com específicas condições invoquem uma espécie de imunidade no trânsito em face das infrações supostamente cometidas. Trata-se, em verdade, de uma previsão legislativa para cometimento de infrações de trânsito quando as circunstâncias de fato e de direito estiverem presentes.
        Além da natureza do veículo, a imunidade só será conferida àquele que cumularem as seguintes disposições:
        • Estejam em efetivo serviço de urgência;
        • Alarme sonoro;
        • Iluminação vermelha intermitente.
        Ausente quaisquer das exigências, lavra-se auto de infração correspondente à transgressão cometida pelo condutor. Desse modo, caso o condutor de uma ambulância transite pela contramão de direção, sem acionar o sistema de iluminação vermelha intermitente, o agente de trânsito deverá lavrar o auto de infração, mesmo que esteja em situação de emergência.
        Por outro lado, prevê o codex infração para o condutor de veículo que, estando em situação de emergência, deixe de acionar o sistema de iluminação vermelha intermitente. Ressalva-se que não é infração de trânsito deixar de acionar a sinalização sonora do veículo, mas, exclusivamente, a luminosa.
        Seria o caso do condutor, em emergência, transitar respeitando as regras de circulação e conduta, não acionando o sistema sonoro do veículo. Nessa situação, não se deve a emitir o AIT, todavia, ao convergir numa via pela contramão de direção em pista de mão única, automaticamente deve ser emitido o auto, uma vez que tal prerrogativa só é aplicada quando todos os dispositivos estiverem acionados, o luminoso e o sonoro.
        Caso volte a transitar, regularmente, sem cometer qualquer ato configurado como infração, e deixe de acionar a sinalização luminosa do veículo, o agente de trânsito deverá emitir AIT de natureza média (art. 222 CTB).
        Em suma, estando o veículo em SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA, deve-se, em qualquer hipótese, acionar a luz vermelha de emergência. Estando, porém, sob perigo iminente, que necessite ao tempo, cometer ato que configura infração de trânsito, acionar-se-á dispositivo sonoro de emergência.
        Nessa senda, caso o veículo transite com o sistema sonoro acionado, certamente, o motivo suscitado ao caso se sobrepõe aos riscos oferecidos pelo cometimento de infrações.
        A partir dessa noção, estando em situação de emergência, o veículo está vinculado às seguintes situações:

        Violando regras de trânsito Luz vermelha Sistema sonoro MULTA
        NÃO SIM NÃO NÃO
        NÃO SIM SIM NÃO
        NÃO NÃO SIM SIM
        SIM SIM SIM NÃO
        SIM NÃO SIM SIM
        SIM SIM NÃO SIM

        O assunto já foi alvo de questão de prova no concurso do TRT de 2004, elaborado pela CESPE/UNB nos seguintes termos: “Sempre que estiverem trafegando, os veículos destinados a socorro de incêndio e salvamento, os de polícia, os de fiscalização e operação de trânsito e as ambulâncias, além de prioridade de trânsito, gozam de livre circulação, estacionamento e parada”. Nem sempre os veículos de emergência terão a regalia da liberdade de circulação, já que, tal prerrogativa ocorrerá apenas quando estiver acionado o dispositivo sonoro e luminoso, em comunhão com a situação real de emergência.
        Encontrando-se os veículos operacionais em prerrogativa legal, com os dispositivos acionados, todos os condutores deverão deixar livre a passagem pela faixa da esquerda, indo para a direita da via e parando, se necessário.
        Os veículos deverão abrir espaço apenas quando estiverem acionados os dispositivos SONOROS e LUMINOSOS do veículo de emergência. Assim, caso esteja apenas com o sistema de iluminação ativado, mesmo não cometendo qualquer infração, afastará a responsabilidade dos condutores que não deixarem livre a faixa da esquerda.
        Será autuado igualmente, aquele condutor que se aproveitar do trânsito livre deixado pelos veículos em situação de urgência ou emergência devidamente identificados.

        DO COMPORTAMENTO DO PEDESTRE
        Segundo o art. 29, VII, b do CTB, o pedestre, ao ouvir o alarme sonoro deve aguardar no passeio, só atravessando a via quando o veículo já tiver passado pelo local.
        Ao prever que os pedestres aguardem no PASSEIO, ao ouvir o alarme SONORO, talvez, o CTB tenha embarcado numa “bagunça jurídica”, já que é infração para o condutor do veículo de emergência deixar de acionar a sinalização LUMINOSA, e não a SONORA (art. 222 do CTB).
        Na verdade, não há confusão nenhuma, por tais razões:
        1. O condutor do veículo operacional, em situação de emergência deverá valorar o caso e determinar se será necessário ou não transgredir regras de trânsito. A emergência leve determina que ele acione unicamente o sistema de iluminação vermelha intermitente do veículo. Já a grave determina que ele acione tanto o sistema de iluminação quanto o sonoro, oferecendo ao condutor a prerrogativa de cometer qualquer ato que viole razoavelmente as regras de trânsito.
        2. Os pedestres, ao observarem apenas a sinalização LUMINOSA INTERMITENTE VERMELHA do veículo, poderão cruzar tranquilamente a faixa de pedestre, pois, o condutor do veículo de emergência não poderá avançar o sinal vermelho do semáforo, já que, para o avanço, seria necessário o acionamento da sinalização sonora do veículo de emergência.
        A situação ocorrerá, por exemplo, quando o veículo de emergência não estiver em uma situação de urgência máxima, ou o risco proveniente das “infrações” preponderarem ao motivo que determina a própria situação de emergência, podendo, nesse caso, o condutor, aguardar a sinalização verde do semáforo para avançar.
        Portanto, o pedestre ao OUVIR O SINAL SONORO, do veículo de emergência, certamente observará o sistema de iluminação igualmente acionado. Nesta senda, o condutor não respeitará o sinal vermelho do semáforo, devendo o pedestre aguardar no passeio.

        DO USO DA SINALIZAÇÃO
        O uso de dispositivos de alarme sonoro e de iluminação vermelha intermitente só poderá ocorrer quando da efetiva prestação de serviço de urgência.
        Essa rega vale tanto para os veículos da administração pública, (polícia, bombeiros), como da iniciativa privada, ambulâncias de hospitais etc.

        PRIORIDADE LIMITADA
        A prioridade de passagem na via e no cruzamento deverá ocorrer com velocidade reduzida e com os devidos cuidados de segurança.
        Mesmo estando em situação de emergência, o veículo não terá preferência absoluta nas vias públicas. Nos cruzamentos, a velocidade deve ser reduzida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.