Marco Aurélio Gonçalves Cotta, de 65 anos, ficou internado por seis meses, sendo maior parte do tempo na UTI. Cervejaria não responde advogados da família

Marco Aurélio Gonçalves Cotta, de 65 anos, consumiu cerveja nas festas de final de ano de 2019. Foto: Reprodução.

A assessoria de imprensa das vítimas de intoxicação por consumo da cerveja da marca Backer confirmou a morte do décimo consumidor. Na última quarta-feira, 15, faleceu Marco Aurélio Gonçalves Cotta, de 65 anos, após ficar internado mais de seis meses no Hospital Mater Dei.

O homem tomou a cerveja em dezembro de 2019, nas festas natalinas e de fim de ano da família. Logo após o consumo das cervejas, começou a sentir os primeiros sintomas de intoxicação por dietilenoglicol, substância presente em lotes da cerveja Belorizontina, fabricada pela Backer.

A maior parte de sua internação foi na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e somente 38 dias no quarto. Os advogados da família já apresentaram à Backer os gastos com o tratamento médico de Marco Aurélio, mas afirmam que a cervejaria nunca respondeu às solicitações