Moradores de Campinas pedem mais segurança após morte de homem em praça à luz do dia

Segundo uma moradora da região ouvida pelo Jornal Opção, no local próximo ao ginásio de esportes de Campinas circulam diariamente cerca de 300 usuários de drogas para compra, venda e consumo. “Todos usam faca na cintura por aqui”.

Após passar a noite utilizando crack uma mulher esfaqueou e matou um homem que se recusou a entregar um cachimbo com o entorpecente. O crime ocorreu na manhã deste sábado, 03, em frente ao prédio do Instituto De Educação Em Artes Professor Gustav Ritter, em Campinas. A mulher foi detida e policiais militares isolaram a área.

Segundo uma moradora da região ouvida pelo Jornal Opção, no local próximo ao ginásio de esportes de Campinas circulam diariamente cerca de 300 usuários de drogas para compra, venda e consumo . “Todos usam faca na cintura por aqui. E os moradores vivem toque de recolher de medo. Ninguém põe os pés para fora das 7h da noite as 7h da manhã”.

A moradora, que preferiu não se identificar, já foi vítima por duas vezes de assaltos na região. “A situação aqui é terrível. Os moradores vivem um clima de tensão e medo. Aumentou o número de assaltos e furtos nas residências. Temos que pagar uma espécie de ‘pedágio’ para circular no setor, sempre dando dinheiro para eles”.

Nos últimos anos, essa foi a 17 ª morte no local ocasionada pelas pessoas em situação de rua. Nesse sentido, a população local pede a intensificação do policiamento, com a implantação de uma companhia da polícia militar. Além da revisão da iluminação pública “A polícia vem, fiscaliza, mas não encontra nada. As mulheres escondem as drogas nas partes íntimas e a polícia não conseguem repreender”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.