Moradora denuncia possível foco de dengue no Jóquei Clube, em Goiânia

Clube abandonado há mais de um ano está com telhas quebradas e piscinas vazias descobertas

Uma vez sinônimo de diversão para a elite da sociedade goianiense, hoje o Jóquei Clube de Goiás está em situação de abandono e, o que é mais grave, com o grande potencial de se tornar um grande criadouro do Aedes aegypt, transmissor da dengue, zika e chikungunya.

A professora Lorena Teixeira mora há um ano em um edifício ao lado do Jóquei, no setor Central, e denuncia a situação de descaso nas dependências do clube. “Meu marido e minha filha estão com dengue. Não posso afirmar se foram contaminados por causa de algum foco do mosquito no Jóquei, mas com certeza a proliferação ali é enorme”.

De seu apartamento, a moradora tirou fotos que mostram telhas quebradas, brinquedos, vasos de plantas sem manutenção e as piscinas vazias, todos expostos à chuva.

José Décio de Carvalho é sindico do prédio há 10 anos e afirma que a reclamação dos moradores é constante. “Ainda não recebi notícia de pessoas doentes, mas as pessoas me ligam preocupadas com a situação, com medo de uma epidemia de dengue causada pela proliferação do mosquito no clube”.

Há cerca de seis meses, o síndico chegou a ligar para a vigilância sanitária, que enviou agentes ao local. “Na época, eu e minha esposa pegamos dengue. Quando os agentes vieram, encontraram focos do mosquito nas áreas internas e externas do clube. As piscinas foram esvaziadas, mas deixaram-nas descobertas. Com o volume de chuvas que temos agora, ficamos preocupados novamente”, explica Carvalho.

Até o fechamento da matéria, a reportagem do Jornal Opção não conseguiu contato com o órgão responsável, nem com o setor de Vigilância em Saúde da Prefeitura de Goiânia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.