Ministério volta atrás em demissões da Cinemateca

Decisão de reconduzir presidente da Cinemateca e mais quatro técnicos da instituição foi comunicada em nota no último sábado (30)

O Ministério da Cultura (MInC) voltou atrás na decisão de exonerar a presidente da Cinemateca Brasileira, Olga Futemma, e mais quatro técnicos da instituição cujas demissões haviam sido publicadas no Diário Oficial da União (DOU) na última terça-feira (26/7).

No último sábado (30), o ministério informou que tornará sem efeito a exoneração de Futemma por ela ter “se destacado na gestão deste imprescindível órgão de preservação da memória de nosso audiovisual”. Ela é servidora de carreira aposentada do ministério, no qual ingressou em 1984. A Cinemateca Brasileira é responsável pela preservação da produção audiovisual brasileira.

Os outros quatro técnicos que serão reconduzidos a seus postos têm, segundo o ministério, competências técnicas dificilmente encontradas em outros integrantes do corpo funcional da pasta.

Na edição do dia 26, foram publicadas no DOU as exonerações de 81 ocupantes de cargos comissionados do MinC, entre eles Olga Futemma e o diretor do Museu Vila-Lobos, o maestro Wagner Tiso Veiga. De acordo com o ministério, os comissionados foram exonerados como parte da reestruturação da pasta e do plano de valorização dos servidores de carreira.

No último dia 29, o ministro da Cultura, Marcelo Calero, negou que as demissões tivessem motivação política. Segundo Calero, o MinC atendia a uma reivindicação da sociedade de substituir os comissionados por servidores de carreira.

Calero destacou que ele próprio perdeu gente competente de seu gabinete. “A pessoa é competente e já está no ministério não sei há quantos anos. “Desculpe, mas essa pessoa não devia nem estar lá”, afirmou.

Em substituição a Olga, Calero havia nomeado Oswaldo Massaini Filho para a diretoria da Cinemateca Brasileira. Ele é acusado de crime de estelionato, e sua indicação recebeu fortes críticas de pessoas ligadas à área da Cultura. (Com Agência Brasil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.