Ministro dos Transportes vai a Anápolis acompanhar ações para operação da Ferrovia Norte-Sul

Trecho será responsável por escoar grande parte da produção agrícola que atualmente é transportada pelas rodovias

Deputado federal Rubens Otoni (PT), prefeito de Anápolis, João Gomes (PT), e ministro dos Transportes Antônio Carlos Rodrigues acompanham as obras da norte-sul | Foto: Secom / Prefeitura de Anápolis

Deputado federal Rubens Otoni (PT), prefeito de Anápolis, João Gomes (PT), e ministro dos Transportes Antônio Carlos Rodrigues acompanham as obras da norte-sul | Foto: Secom / Prefeitura de Anápolis

O ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues, foi a Anápolis na manhã desta sexta-feira (6/3) para vistoriar as ações da iniciativa privada para a entrada em operação do transporte de carga no trecho da Ferrovia Norte-Sul entre a cidade e Palmas (TO).

Acompanhado do deputado federal Rubens Otoni (PT) e do prefeito de Anápolis, João Gomes (PT), o ministro destacou a “importância da ferrovia para a agricultura da região”. O trecho de 885 km foi considerado estratégico “já que grande parte da produção agrícola escoada atualmente pelas rodovias poderá ser transportada pela Norte-Sul”.

O deputado aproveitou a ocasião para reforçar o interesse do Governo Federal na ferrovia. “Os governos Lula e Dilma, após 27 anos, retomaram essa obra que é a coluna vertebral do Brasil, é a ferrovia das ferrovias, que corta o Brasil de norte à sul. Seu funcionamento traz distribuição de riquezas e desenvolvimento às regiões”, pontuou.

A Valec, estatal responsável por projetar e executar a construção da obra, pretende realizar o primeiro carregamento de farelo de soja no Pátio de Anápolis nos próximos dias. A carga seguirá com destino ao Porto de Itaqui (MA). A operação do trecho marcará o início do modelo de livre acesso à infraestrutura ferroviária (open access).

O segmento ferroviário (Anápolis-Palmas) é o primeiro a operar sob o novo modelo, que permite a utilização da ferrovia por diversos transportadores ferroviários, devidamente autorizados por critérios transparentes, não discriminatórios e isonômicos, se forem cumpridas condições técnicas e operacionais. A estatal também irá realizar atividades como o planejamento operacional, a manutenção do trecho e o controle de tráfego da via férrea.

O ministro visitou ainda o Pátio Intermodal de Anápolis, onde seis linhas férreas paralelas percorrem 3.760 metros de extensão. As cargas movimentadas será tanto no sentido importação (Palmas – Anápolis) quanto no exportação (Anápolis – Palmas), que descongestionarão os portos de Santos e Vitória.

*Com informações da assessoria de comunicação do Ministério dos Transportes

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.