Ministro do STF libera denúncia e Bolsonaro pode virar réu por racismo

Marco Aurélio Mello liberou para a inclusão do julgamento na pauta da 1ª Turma da Corte

Reprodução

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, pode virar réu por racismo e manifestação discriminatória contra quilombolas, indígenas e refugiados. Isso porque o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou o julgamento para a inclusão na pauta da 1ª Turma da Corte. A pauta de setembro, porém, ainda não foi divulgada.

Em abril, a Procuradoria-Geral da República (PGR)  ofereceu denúncia por conta de uma palestra que o candidato deu no Clube Hebraica do Rio de Janeiro, no ano passado.

“Pode ter certeza de que, se eu chegar lá, não vai ter dinheiro pra ONG (..). Não vai ter um centímetro demarcado para reserva indígena ou para quilombola. Onde tem uma terra indígena, tem uma riqueza embaixo dela. Temos que mudar isso daí”, disse. Em relação aos quilombolas, o então pré-candidato disparou que o ”afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas (arroba é uma medida usada para pesar gado; cada uma equivale a 15 kg). Não fazem nada. Eu acho que nem para procriador ele serve mais. Mais de 1 bilhão de reais por ano é gasto com eles”, disse na ocasião.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.