Ministro do STF apoia Bolsonaro se defender por escrito em investigação sobre interferência na PF

Marco Aurélio vai defender que o presidente tem como prerrogativa prestar depoimento por escrito mesmo como investigado em um inquérito

Ministro Marco Aurélio | Foto: Agência Brasil

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), concluiu nesta quinta-feira, 24, seu voto a favor de que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) preste depoimento por escrito no depoimento que apura a tentativa de interferência do líder do Executivo na Polícia Federal.

O pedido para que o depoimento fosse por escrito foi feito pela AGU (Advocacia-Geral da União), responsável pela defesa do presidente.

Relator do caso, o ministro Celso de Mello, está de licença médica e foi substituído por Marco Aurélio. Celso havia determinado que os esclarecimentos de Bolsonaro fossem dados de forma presencial.

Segundo informações, Marco Aurélio vai defender que o presidente tem como prerrogativa prestar depoimento por escrito mesmo como investigado em um inquérito, benefício previsto apenas para chefes de Poder.

“Em um estado democrático de direito é inadmissível o critério de dois pesos e duas medidas, sendo que o meio normativo é legítimo quando observado com impessoalidade absoluta. A mesma regra processual é possuidora de sentido único, pouco importando o presidente envolvido”, escreveu o ministro. (Com informações do UOL)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.