Ministro do PMDB diz que quer continuar na pasta de Ciência e Tecnologia

Declaração de Celso Pansera não segue a tendência do partido, que deve anunciar rompimento do PT nesta terça-feira (29/3)

 O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera, destaca no Senado que é contra a saída do PMDB do governo | Foto: Elza Fiúza/ Agência Brasil

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera, destaca no Senado que é contra a saída do PMDB do governo | Foto: Elza Fiúza/ Agência Brasil

No mesmo dia em que o PMDB deve divulgar o rompimento com o governo Dilma Rousseff (PT), o ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera, compareceu na Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado para tratar dos desafios da pasta este ano. Pansera ocupa um dos sete ministérios sob o comando do PMDB e é um dos que sempre defenderam a permanência do partido no governo.

Porém, Pansera é um dos poucos peemedebistas que apoiam a continuação da aliança entre PMDB e PT. Na última terça-feira, Henrique Eduardo Alves abriu mão do cargo de ministro do Turismo em carta à presidente da república. A exoneração foi publicada na edição desta terça-feira (29/3) do Diário Oficial da União.

A decisão oficial do partido sobre o rompimento com o PT é esperada para a tarde desta terça-feira (29).

Perguntado pelo presidente da comissão, senador Lasier Martins (PDT-RS), sobre como ficaria a pasta de Ciência e Tecnologia diante da decisão do partido de deixar a base governista, Pansera, que está licenciado do mandato de deputadio federal desde que foi empossado minsistro (outubro do ano passado), destacou que é contrário ao impeachment. “Como deputado vou votar contra, eu acho que não existe ainda fato que determine o impeachment, essa é uma batalha minha.”

“Comuniquei essa minha disposição à presidenta e dependendo da resolução ela que vai nos convidar ou não a permanecer. Também comuniquei ao vice-presidente a minha disposição. Por mim, a minha equipe continua trabalhando lá no ministério até que essa crise tenha um desfecho”, acrescentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.