Ministro da Saúde quer estudo sobre como novo coronavírus se comporta em clima tropical

Luiz Henrique Mandetta afirmou que já esperava a circulação do vírus pelo país e pediu maior atenção com higiene

| Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Com o primeiro caso de pessoa infectada pelo Covid-19 no Brasil confirmado, o ministro de Saúde Luiz Henrique Mandetta alerta para as chances de casos suspeitos aumentarem, devido ao aumento do número de países com mortes. No entanto, ele afirma que já era esperada a circulação do vírus pelo país e que irá pedir estudos para saber o comportamento do Covid-19 em clima tropical.

Atualmente, o Brasil investiga 20 casos suspeitos. Além deles, 30 pessoas da família do paciente brasileiro também estão em observação e 16 passageiros que estiveram com ele no mesmo voo. O homem mora em São Paulo e veio de uma viagem à trabalho da Itália, onde passou pela Lombardia, no Norte do país, entre os dias 9 e 21 de fevereiro. O diagnóstico foi confirmado pelo laboratório de referência Adolfo Lutz. Outros 59 casos suspeitos foram descartados.

De acordo com nota do Hospital Israelita Albert Einstein, onde ele recebeu atendimento médico após sentir sintomas respiratórios, o homem irá se recuperar em casa. “O paciente encontra-se em bom estado clínico e sem necessidade de internação, permanecendo em isolamento respiratório que será mantido durante os próximos 14 dias. A equipe médica segue monitorando-o ativamente, assim como as pessoas que tiveram contato próximo com ele”, informou.

Por ter 61 anos e ser hipertenso, está entre os pacientes que apresentam maior risco. No entanto, de acordo com a nota do hospital, o homem tem sintomas leves.

O ministro da Saúde defendeu a quarentena caseira na qual o paciente foi submetido. “Você levar este paciente para dentro de um ambiente hospitalar só aumenta as chances de outros pacientes, em estado debilitado, serem acometidos”, afirmou. “O isolamento domiciliar é o mais recomendado [em casos leves]. Temos que levar pessoas com quadro respiratório grave para o ambiente hospitalar, mas não pessoas que estão com resfriado, em bom estado geral, se alimentando, com febre baixa e que usam qualquer um desses antitérmicos.”

Procedimentos

Segundo estudo, a maioria dos infectados possuem entre 40 e 69 anos, sendo a maior letalidade entre pessoas acima de 60 anos de idade. Mesmo com o primeiro caso confirmado, o Brasil não deverá adotar novos procedimentos em relação a aeroportos. “Não existe nenhuma tecnologia que possa nos dizer que quem está dentro de um avião possa estar com o vírus ou não”, disse o ministro.”Nosso sistema já passou por epidemias respiratórias graves. Iremos atravessar mais esta, analisando com os pesquisadores e epidemiologistas brasileiros, qual é o comportamento desse vírus em um país tropical.”

“Vamos passar por essa situação investindo em soluções, ciência e informação. [A recomendação é] Higiene, evitar aglomerações desnecessárias, cuidados de etiqueta respiratória, o brasileiro precisa aumentar o número de vezes que lava a mão”, afirmou.

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabardo dos Reis, afirmou que a pasta já licitou para aquisição de Equipamentos de Proteção Individual e que a previsão é que as empresas comecem a entregar os insumos dentro de 7 dias. “Todos os estados e municípios já têm esses equipamentos para os atendimentos necessários, de rotina, agora eles terão uma demanda maior, por isso o Ministério da Saúde enviará um reforço com esses equipamentos”, disse.

Prevenção

De acordo com o Ministério da Saúde, as formas para se evitar a contaminação são:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes;
  • Ficar em casa quando estiver doente;
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.