Ministro da Justiça oferece Força Nacional para operação no Rio de Janeiro

Oferta vem após queda de aeronave da PM que resultou na morte de quatro policiais no último sábado (19)

Queda de helicóptero matou quatro policiais militares | Foto: Reprodução

Queda de helicóptero matou quatro policiais militares | Foto: Reprodução

Neste domingo (20/11), o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, ofereceu apoio à Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro na operação que está sendo realizada na capital fluminense. Por meio de nota, o ministro informou que ofereceu a Força Nacional de Segurança que está no Rio para auxiliar nas ações que estão sendo realizadas na Cidade de Deus.

“O ministro Alexandre de Moraes está acompanhando os fatos ocorridos no Rio de Janeiro e desde ontem vem mantendo contato direto e constante com o secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro”, diz a nota. “Por oportuno, o ministro também colocou à disposição do governo local o efetivo da Força Nacional que está na cidade para prestar apoio na segurança pública da Cidade de Deus”.

Ação policial

Desde a manhã deste domingo (20), a Cidade de Deus passa por grande operação policial. Moradores da região relatam tiroteios e ao menos três helicópteros da Polícia Militar (PM) foram vistos sobrevoando a comunidade.

A ação policial veio depois da queda de um helicóptero da PM na noite do sábado (19). Em nota, a corporação confirmou a queda da aeronave e a morte dos quatro policiais que estavam no helicóptero:  major Rogério Rogério Melo Costa, 36 anos, o capitão Willian de Freitas Schorchi, 37 anos, o subtenente Camilo Barbosa Carvalho, 39 anos, e o terceiro-sargento Rogério Félix Rainha, 39 anos.

Ainda não há confirmação do motivo da queda da aeronave e a perícia vai verificar se houve alguma espécie de pane no helicóptero ou se ele foi abatido por disparos de traficantes da região. A PM lamentou a morte dos militares e informou que o comando da corporação vai prestar todo o apoio às famílias.

O helicóptero que caiu era usado no apoio a uma operação policial que ocorria na Cidade de Deus ao longo do sábado (19). Durante todo o dia, policiais, milicianos e traficantes se confrontaram. A linha amarela chegou a ser fechada duas vezes por conta dos tiroteios. (Com informações da Agência Brasil)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.