Ministro da Indústria lança programas de incentivo para empresas goianas

Marcos Pereira veio a Goiânia para lançar o Plano Nacional da Cultura Exportadora e o Brasil Mais Produtivo, que focam em consultoria para impulsionar crescimento

| Foto: Bruna Aidar/ Jornal Opção

Para ministro, programas são importantes para superação da crise, que, na sua opinião, já começa a ficar para trás | Foto: Bruna Aidar/ Jornal Opção

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira (PRB), veio a Goiânia nesta sexta-feira (16/9) para lançar dois programas da pasta voltados para o crescimento das empresas goianas. O Plano Nacional da Cultura Exportadora (Pnce) e o programa Brasil Mais Produtivo são focados na oferta de consultoria em diversas áreas para que os empresários possam entrar no mercado externo e melhorar sua produção.

Em entrevista à imprensa na Federação da Indústria e Comércio de Goiás (Fieg), o ministro destacou a importância dos dois programas. Sobre o Pnce, ele afirmou que voltar os olhos para o comércio exterior é uma maneira de manter o crescimento mesmo com o desaquecimento da economia interna. “No momento em que o Brasil está saindo de uma crise de consumo interno, é importante incentivar as empresas que não têm cultura exportadora a exportar”, ressaltou ele.

Além das empresas que ainda não exportam, o programa também quer fazer as que, por algum motivo deixaram de fazê-lo, voltarem ao mercado exterior. “Aquelas que exportaram esporadicamente, ou que já exportaram no passado e não exportam mais também serão alvo, para que voltem a se inserir no comércio exterior.”

Para Marcos, é importante ainda que os programas do governo Michel Temer (PMDB) funcionem em conjunto para que produzam resultados mais efetivos. Ele citou como exemplo o Programa de Parceria de Investimento (PPI), que ajuda a sanar um dos problemas que o Brasil tem na questão do comércio exterior, a logística. “Esse programa, em que você vai conceder portos, aeroportos e rodovias, vai resolver esse problema da logística”, pontua.

Segundo o ministério, as empresas terão consultoria na área de ferramentas de treinamento, capacitação, consultoria para adequação de produtos e identificação de mercados. O programa conta com a participação da Confederação Nacional da Indústria, SEBRAE, BNDES, MRE e da Apex Brasil.

Brasil Mais Produtivo

Já a ideia do Brasil Mais Produtivo, aponta, “É dar consultoria para as empresas, pequenas e médias, revisitar o processo produtivo delas, buscando gerar economia e um novo processo de produção, para que elas possam aumentar a sua produtividade minimamente em 20%”. Ele informou que foram selecionadas 220 empresas goianas para participar do programa, com foco nas que têm de 11 a 200 funcionários, ou seja, de pequeno ou médio porte.

“Quando você aumenta a sua produtividade, você fica mais competitivo e consegue avançar em meio dessa crise da qual começamos a sair”, explica. “O Estado de Goiás é importantíssimo sobretudo na área do agronegócio e também na área de tratores, e temos que prestigiar as empresas daqui para que elas possam avançar e ajudar o Brasil a avançar gerando empregos, porque esse é o foco do governo do presidente Michel Temer (PMDB).”

Em Goiás, as empresas selecionadas são dos setores moveleiro; de alimentos e bebidas; e de confecções e sapatos. Além de da cidade de Goiânia, o programa também atinge empresas das cidades de Aparecida de Goiânia, Trindade e Jaraguá. O foco de redução de desperdícios no processo produtivo são sete: superprodução, tempo de espera, transporte, excesso de processamento, inventário, movimento e defeitos.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.