Ministro Braga Netto se filia ao PL com intenção de ser vice de Bolsonaro nas eleições de 2022

Aliados do presidente dão parceria como certa, mas entorno do general considera possibilidade de fechamento com PP

O ministro da Defesa, Walter Braga Netto assinou a filiação para entrada no PL nesse domingo, 27. Apesar da ausência no evento “Filia Brasil é com ele que eu vou”, organizado pelo partido no fim de semana para filiar pré-candidatos e apoiadores, o general assinou a ficha de entrada no partido e aguarda para fazer a divulgação oficial. Com isso, ele deve preencher a vaga de vice em chapa pura do PL na disputa presidencial, ao lado do presidente Jair Bolsonaro. A estratégia é rara em disputas eleitorais, especialmente na corrida pela Presidência da República.

Mesmo com a filiação assinada, o ministro ainda é alvo de interesse de outras legendas, como o PP. Isso porque os arredores de Bolsonaro ainda defendem a possibilidade de composição de chapa com outra sigla. Independente da confirmação da sigla e da candidatura, aliados do presidente afirmam que Braga Netto é dado como certo na chapa.

“O presidente já deu sinalizações, mas acho que nada é imutável. Ele tem muitas opções salutares. Mas, pelo que se falou, acho que está muito clara sinalização que ele [Bolsonaro] deu, disse que seria ministro e pelo que eu soube de Minas [Gerais]”, comentou o ministro João Roma, que também se filou ao PL. Na última semana, Bolsonaro confirmou que teria um vice mineiro, durante entrevista à rádio Jovem Pan.

Ao redor do general, por outro lado, a conversa ainda é de possibilidade de acerto com o PP, deixando a situação em aberto até o dia 2 de abril, quando se encerra o prazo de desincompatibilização para interessados em disputar as Eleições de 2022.

Ainda de acordo com apoiadores da chapa, a ausência de Braga Netto no evento de filiação deve-se ao fato do ministro ainda estar à frente da defesa. Além disso, a opção foi por evitar transformar o momento num lançamento de chapa. Apesar disso, no entanto, o próprio presidente Bolsonaro chegou a declarar que o evento era de lançamento da pré-candidatura, no último sábado, 26.

Além de Braga Netto, o evento também garantiu a filiação dos ministros da Cidadania, João Roma, e da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes.

O deputado federal Vitor Hugo, que pretendia integrar a sigla e lançar a pré-candidatura ao governo de Goiás, ao lado do presidente, não teve a filiação confirmada. Nos bastidores, acredita-se que a não filiação possa ter ocorrido em razão da pressão que o diretório regional do partido tem feito para pré-candidatura do prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (sem partido).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.