Ministério Público e prefeitura de Águas Lindas articulam conclusão de hospital

Empresa contratada para construir a unidade de saúde se comprometeu a empregar mais funcionários para terminar a obra, que ainda precisa de um aditivo

Obra foi vistoriada pelos participantes da reunião | Foto: Divulgação

Foi realizada na última quinta-feira (6/1) uma reunião entre a empreiteira responsável pelas obras de hospital em Águas Lindas de Goiás, Ministério Público de Goiás (PM-GO), Ministério da Saúde e Secretaria Estadual de Saúde (SES). O objetivo era pensar ações para finalizar e entregar a unidade de saúde, que também foi vistoriada.

Participaram das deliberações o coordenador do Centro de Apoio Operacional da Saúde do Ministério Público, Eduardo Prego; a promotora Tânia D’Able Rocha Torres, titular da 5ª Promotoria de Justiça da cidade; o gerente de Engenharia da Divisão de Convênios e Gestão do Ministério da Saúde, Dante Ariel; e a servidora Kézia Dayrell Monteiro, do Gabinete de Planejamento e Gestão Integrada (GGI); e o engenheiro da Versa Engenharia, Josiel Ribas.

Dante informou que, dos 14 blocos que irão compor a unidade de saúde, 10 estão em estágio de acabamento. Segundo Josiel, que é o engenheiro responsável pela obra, a parte externa do hospital e o telhado já foram concluídos e faltam a finalização dos sistemas de ar-condicionado e de gases medicinais e a instalação de revestimentos de paredes e esquadrias.

Para que esses serviços sejam realizados, no entanto, é necessário mais um aditivo de contrato, de acordo com o gerente de Engenharia da SES, Lucas Silva. Lucas esclareceu, no entanto, que a empresa contratada tem “pendências fiscais” e, por isso, o aditivo só será feito depois que elas forem sanadas. Se a empresa não resolver a questão, o contrato será rescindido. Josiel garantiu, entretanto, que o problema será solucionado ainda nesta semana. Além disso, o aditivo depende também da aprovação do projeto elétrico por parte da Celg.

Na reunião também foram feitos questionamentos quanto ao atraso da obra e o número de funcionários que estão trabalhando no local – segundo Josiel, 15 funcionários atuam na construção e 40 estão de férias, com previsão de retorno no próximo dia 20. A parte elétrica e a instalação do gás e do ar-condicionado foi terceirizada.

O engenheiro se compromete, no entanto, a colocar 55 funcionários trabalhando na obra, com a liberação do aditivo, para garantir a conclusão em 12 meses. A conclusão foi de que a Versa Engenharia irá entregar, até o dia 24, um cronograma de execução da obra já considerando os valores do aditivo e especificando o número de funcionários empregados e os prazos da obra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.