Ministério Público do Rio de Janeiro encerra grupo que investiga “rachadinhas”

MP-RJ decide transferir atribuições para departamentos que serão criados no Grupo de Atuação Especializada e Combate ao Crime Organizado (Gaeco)

O Ministério Público do Rio de Janeiro decidiu executar a ação que encerra as atividades do Grupo de Atuação Especializada e Combate à Corrupção (Gaecc). Esse núcleo foi o grande responsável por investigar o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos – RJ), no “inquérito das rachadinhas”, a partir do fim do ano de 2018. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

O procurador-geral de Justiça, Luciano Mattos, determinou que as investigações sejam transferidas para departamentos que serão criados no Gaeco. Esses novos núcleos serão chamados de “Núcleo de Combate à Criminalidade Organizada” e “Núcleo de Combate à Corrupção”. Eles serão responsáveis por uma atuação que passa pelo combate ao tráfico de drogas e vai até a lavagem e ocultação de bens, por exemplo.

Mudanças

O que muda na prática é que essa transferência de responsabilidades implica na retirada de autonomia do Gaecc. Ele perderá seu status de grupo de atuação especializada e precisará se submeter ao Gaeco de agora em diante. Em meio a todas essas modificações também será nomeado um Coordenador – Geral de Atuação Coletiva Especializada, que será consultado sobre todos os procedimentos que deverão ser tomados pelo grupo em seus trabalhos de investigação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.