Ministério Público denuncia primeira-dama por morte de menino Miguel

Miguel, de cinco anos, morreu após cair do 9º andar quando saiu sozinho para procurar a mãe, que trabalhava para família de primeira-dama de Tamandaré, Sari Corte Real

Miguel Otávio e Mirtes Renata | Foto: Reprodução

Sari Corte Real, primeira-dama de Tamandaré, foi denunciada pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE) nesta terça-feira, 14, por abandono de incapaz com resultado de morte e agravada por “ter sido contra criança em meio à conjuntura de calamidade pública”, por conta da pandemia de Covid-19. O caso ocorreu no Centro de Recife, em 2 de junho, quando o menino Miguel Otávio, de cinco anos, caiu do 9º andar do edifício Píer Maurício de Nassau.

Sari ficou responsável pela criança quando a mãe do menino, que era sua empregada doméstica, saiu para passear com a cadela dos patrões. De acordo com as câmeras, por quatro vezes Sari conseguiu convencer o menino a sair do elevador.

No entanto, em outra filmagem, Sari aciona a tecla da cobertura no elevador e sai deixando o Miguel sozinho. O menino caiu após tentar escalar o prédio pela janela. Sari foi presa em flagrante no mesmo dia por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

A primeira-dama foi indiciada por abandono de incapaz que resultou em morte, considerado preterdoloso, quando o crime é diferente do que se pretende cometer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.