Ministério Publico da Itália solicita extradição e prisão de Robinho

Procuradoria de Milão emitiu pedido de prisão internacional ao Ministério de Justiça para que ex-jogador seja punido judicialmente no país por crime de estupro

O pedido de extradição do ex-jogador Robinho foi encaminhado ao Ministério da Justiça da Itália pela Procuradoria de Milão nesta terça-feira, 15. Além da entrega, a Justiça italiana também emitiu mandado de prisão internacional do ex-atleta do Santos. Robinho foi condenado a nove anos de prisão por envolvimento em um episódio de violência sexual em grupo contra uma mulher albanesa em 2013.

O jogador e outros cinco outros brasileiros foram condenados por um tribunal de Milão em 2017. Já em 2020, foi confirmada em segunda instância a condenação por estupro coletivo. Ao ser procurada, a defesa do jogador disse que a decisão foi injusta. A confirmação definitiva foi dada pela Suprema Corte Italiana e não cabe recurso. 

A sentença proferida nesta terça também vale para o amigo do jogador, Ricardo Falco, sentenciado pelo mesmo crime. No entanto, a Constituição brasileira não permite a extradição dos cidadãos. Desta forma, jogadores não serão entregues para cumprir pena na Itália. Segundo o UOL, o Ministério italiano ainda deve enviar o pedido formal de prisão e extradição à pasta brasileira nos próximos dias.

Robinho tem 37 anos e jogou por alguns dos grandes clubes europeus, entre eles Real Madrid, Manchester City e Milan, bem como assinou contrato em 2020 para voltar ao primeiro clube no Brasil, o Santos. No entanto, o acordo desabou após os patrocinadores ameaçarem o cancelamento de contratos com o clube pela contratação de um jogador condenado por estupro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.