Ministério estima transferência de cerca de 1,5 mil pacientes de Manaus para outros Estados

Pazuello afirma que “salto de contaminações” após festas de fim de ano é fruto de uma situação “completamente desconhecida”

Ministro da Saúde Eduardo Pazuello em reabertura de hospital de Manaus. │Foto: Ministério da Saúde

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse nesta terça-feira, 26, que o governo federal espera transferir cerca de 1,5 mil pacientes infectados pelo novo coronavírus em Amazonas para outros estados. A fala se deu na cerimônia de reabertura do Hospital Nilton Lins, em Manaus, para atendimento de pacientes em tratamento da Covid-19.

“Isso é para que possamos equilibrar a demanda e a oferta por leitos em Manaus”, afirmou o ministro. Ele disse que cerca de 300 pessoas já foram transportadas em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB).

Segundo o último balanço divulgado pelo governo do Amazonas, a lotação de hospitais públicos e privados de todo o estado em decorrência do aumento do número de casos, após as festas de fim de ano, motivou a transferência de 277 pacientes para 11 estados, incluindo Goiás.

O ministro Pazuello disse que “o salto da contaminação” pelo novo coronavírus verificado neste início de ano é fruto de uma “situação completamente desconhecida”, que fez o número de casos da doença quase triplicar de forma muito rápida. Ele ainda afirmou que parte da situação se explica pela ação de uma variante mais recente do novo coronavírus.

Medidas

Ao elencar medidas de enfrentamento à pandemia já implementadas no Amazonas, em conjunto com o governo estadual e prefeituras, Pazuello afirmou que a falta de oxigênio hospitalar já foi equacionada, permitindo o funcionamento de novos leitos hospitalares, como os 50 leitos do Hospital Nilson Lins. 

O ministro ressaltou também que as 452 mil doses de vacina contra o novo coronavírus já entregues ao governo do estado devem ser empregadas para iniciar a vacinação de indígenas aldeados, idosos que vivem em instituições de longa permanência e cerca de 87% dos profissionais de saúde do estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.