Ministério da Saúde habilita Serviço de Cirurgia Bariátrica do HGG

Solenidade acontece na próxima terça-feira (7/11) e deve dobrar o número de cirurgias bariátricas realizadas na unidade

Paciente do Serviço de Atenção a Obesidade do Hospital Alberto Rassi (HGG)

O Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG a partir desta terça-feira (7/11) passa a ser a única unidade de saúde habilitada com Serviço de Atenção à Obesidade no Estado de Goiás.  Com isso, a meta de procedimentos cirúrgicos para os pacientes com obesidade mórbida aumenta de 6 para 12 por mês, o dobro do que é realizado atualmente.

O processo de habilitação durou cerca de três anos, e para isso foram  realizadas diversas adequações na unidade para atender as normas da Vigilância Sanitária. Além disso, foram adquiridos equipamentos específicos para atender pacientes com Índice de Massa Corpórea (IMC) acima de 40. São quatro enfermarias especiais, com camas que suportam pessoas com cerca de 300 quilos e banheiros com medidas e estruturas adequadas.

Entre os investimentos realizados estão a aquisição de um guindaste, com capacidade até 250 quilos, balança, mesas cirúrgicas, cadeiras de rodas, aparelhos especiais de aferição de pressão e camas com capacidade até 300 quilos. As enfermarias especiais contam vasos sanitários de alvenaria e acabamentos em inox, com maior resistência. O Centro de Terapia Intensiva (CTI) também está apto para receber os pacientes super obesos.

O diretor técnico do HGG, Rafael Nakamura, lembra que o hospital sempre foi referência no tratamento da obesidade. “A habilitação do Ministério da Saúde reconhece o trabalho desenvolvido pelo Hospital, que tem buscado a excelência dos serviços prestados aos usuários do SUS. Sua qualidade já foi atestada com o nível 2 de acreditação pela Organização de Acreditação Hospitalar (ONA) e está rumo ao terceiro nível”, destaca.

Nakamura explica que, com a habilitação dos leitos, será possível faturar junto ao Ministério da Saúde, o valor específico da cirurgia bariátrica de acordo coma  tabela do Sistema Único de Saúde (SUS). “O Estado será devidamente ressarcido por estas operações, que antes, eram categorizadas como uma cirurgia comum”, pontua o diretor.

O HGG conta com o Programa de Controle e Cirurgia da Obesidade (PCCO) desde 1998 e foi reestruturado em 2013, com a transferência da gestão para o Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech). Conta com uma equipe multidisciplinar formada por psicólogos, fisioterapeutas, assistentes sociais, fonoaudiólogos, enfermeiros, nutricionistas, além dos médicos cirurgiões bariátricos, pneumologistas, cardiologistas e de outras áreas. Em 2017, o HGG realizou 58 cirurgias bariátricas.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.