Ministério da Saúde confirma relação do Zika com 41 casos de microcefalia

De acordo com boletim divulgado nesta sexta-feira (12/2), foram 24 novas notificações nesta semana

Drauzio Varella aparece em vídeo do Dia Nacional de Mobilização Zika Zero | Foto: Reprodução/Youtube

 

O Ministério da Saúde afirmou que dos 462 bebês que nasceram com microcefalia, 41 deles estão relacionados à infecção pelo vírus Zika. Outros 3.852 casos ainda são investigados pela pasta.

No boletim divulgado nesta sexta-feira (12/2), o Ministério informou que nesta semana foram registradas novas 24 notificações e descartados 765 casos, nos quais os exames apontaram microcefalia sem relação com o Zika. Os dados se referem às notificações registradas entre outubro de 2015 e 6 de fevereiro de 2016.

No total, o Ministério da Saúde recebeu notificação de 5.079 casos suspeitos de microcefalia no Brasil. Pernambuco lidera a lista com 33 casos confirmados de malformação relacionada ao Zika vírus. O Rio Grande do Norte tem quatro casos confirmados, na frente da Paraíba, que confirmou dois casos.

Em todo o território brasileiro, apenas Amazonas e Amapá não têm casos suspeitos de microcefalia relacionados ao Zika.

Mortes

De acordo com o Ministério da Saúde, 91 mortes por microcefalia após o parto ou durante a gestação. Desses casos, 24 foram investigados e tiveram confirmados que se tratava de microcefalia, com oito descartados. Ainda há 59 notificações sendo investigadas.

Em 22 estados brasileiros, casos de Zika têm sido registrados: Goiás, Minas Gerais, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Roraima, Amazonas, Pará, Rondônia, Mato Grosso, Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná.

2014

Em 2014, não havia obrigatoriedade do registro de malformação, quando foram notificados 147 casos. Com o aumento do número de casos, em outubro de 2015 o registro passou a ser obrigatório.

Segundo o Ministério, a microcefalia pode ser ter como causa diversos agentes infecciosos, como sífilis, toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus e herpes viral, além do vírus Zika. A pasta lembra que nem toda grávida com alguma dessas infecções terá necessariamente um bebê com microcefalia.

Ação nacional

Em ação que incluirá 353 municípios brasileiros, o governo federal promove neste sábado (13) o Dia Nacional de Mobilização Zika Zero. A ação combaterá o mosquito Aedes aegypti, transmissor dos vírus da dengue, Zika, febre amarela e chikungunya.

A presidente Dilma Rousseff (PT) acompanhará a mobilização nacional do Rio de Janeiro. Já os ministros estarão em outros estados. De acordo com informações da União, os ministros Nelson Barbosa, da Fazenda, e Patrus Ananias, do Desenvolvimento Agrário, estarão em Goiânia neste sábado para participar do Zika Zero.

Secretários-executivos, presidentes de empresas estatais e 220 mil militares participarão do mutirão de combate ao mosquito em todo o Brasil. Governadores, prefeitos e cerca de 46 mil agentes de combate a endemias, além de 266 mil agentes comunitários de saúde também farão parte da ação, que tem como meta visitar aproximadamente 3 milhões de residências em 353 cidades. (Com Agência Brasil e Blog do Planalto)

Vídeo da campanha Zika Zero com o médico Drauzio Varella foi lançado nesta sexta. Assista:

Deixe um comentário