Minirreforma administrativa chega à Câmara nos próximos dias

Envio da matéria vai adiar o recesso da Casa Legislativa que pode ter sessões até o dia 30 de dezembro

Presidente da Câmara. Romário Policarpo | Foto: Lívia Barbosa / Jornal Opção

A equipe de transição da gestão Maguito Vilela (MDB) acerta os últimos detalhes da minirreforma administrativa para enviar o projeto à Câmara Municipal de Goiânia.

Segundo interlocutores do governo, até a próxima semana o projeto desenhado junto à equipe do atual prefeito, Iris Rezende (MDB), será enviado para apreciação dos vereadores.

“Se for enviado com certeza nós vamos pautar e votar ainda nessa gestão. Se for para ajudar a próxima administração a entrar já como ela entende que deve estar a prefeitura, pode ter certeza que a Câmara fará sim sessões extraordinárias para aprovação do projeto”, disse o presidente da Casa, Romário Policarpo (Patriota).

O presidente confirmou que as sessões podem ser estendidas até o dia 30 caso o projeto da minirreforma chegue na Câmara até a próxima semana.

Transição

Segundo a secretária de Finanças, Zilma Peixoto, a transição entre as gestões ocorre de forma bastante tranquila. A expectativa, inclusive, é de a auxiliar continue à frente da Pasta pelo menos no início da gestão Maguito.

“Todos os assuntos estão sendo tratados e a transição está acontecendo de forma muito positiva. Está tendo a possibilidade da gente nos antecipar a ações que poderiam atrasar os trabalhos da futura administração e que já estão sendo feitas”.

A secretária citou como frutos da transição, a renovação do decreto de calamidade e a aprovação da Lei Orçamentária Anual (LOA). “A Câmara também deve estar aprovando esta semana a LOA e a possibilidade de ter a LOA já sancionada e publicada, isso faz com que a nova administração já entre no dia 1º de janeiro com o orçamento definido podendo todos voltar aos seus empenhos e com a vida na sua normalidade”

“A sociedade vai ganhar porque você não rompe o trabalho que estava sendo feito, não existe questionamento sobre o que estava sendo até porque teve muita transparência”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.