A ex-primeira dama Michelle Bolsonaro não será candidata a um cargo eletivo. Porém, isso não quer dizer, que ela ficará fora da política.

Michelle pretende ampliar sua atuação no PL Mulher, que inclusive deverá passar a presidir. A ideia é que Michelle foque em temas de inclusão social, como de costume. Especialmente no trabalho com deficientes auditivos e na área de doenças raras. E, dessa forma, estimule mais filiações femininas no partido, para ampliar os espaços.

Para isso, a ex-primeira-dama terá que está mais ativa. Desde que voltou dos Estados Unidos, ela mal apareceu na sede do partido.