Mesmo bem avaliadas por goianienses, ciclofaixas seguem abandonadas na gestão Iris

Em circuito do Parque Vaca Brava ao Parque Areião, além de outros pontos da cidade, o Jornal Opção teve dificuldade de visualizar sinalizações no asfalto

Este slideshow necessita de JavaScript.

Uma pesquisa divulgada no fim de 2017 desvendou parte dos hábitos e percepções dos moradores de Goiânia acerca da cidade. Realizado pela Rede de Monitoramento Cidadão (RMC), uma organização identificada como independente e apartidária, o estudo questionou a percepção dos goianienses sobre a qualidade das ciclovias na capital. Para 57,3%, são “boas” ou ótimas”, ante 21,2% dos que as mal avaliam (entre ruins e péssimas). 13,3% dizem que são “regulares”.

Apesar de bem avaliadas, as rotas cicláveis (entre ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas) que foram inauguradas durante a gestão do ex-prefeito Paulo Garcia (PT) foram abandonadas pelo prefeito Iris Rezende (MDB).

Desde o começo do ano, o Jornal Opção analisa a situação do circuito de ciclofaixas permanentes da capital. Em janeiro, a situação era de total abandono e, hoje, três meses depois do revelado pela reportagem, o cenário não está diferente.

Com buracos e faixas delimitadoras apagadas, o uso das ciclofaixas se torna cada vez mais difícil. Há trechos em que não é possível sequer ver que existe a rota.

No Setor Bueno, no sentido do Parque Vaca Brava até o Parque Areião, a reportagem teve dificuldades para visualizar as marcas no asfalto, e o mesmo aconteceu em outros pontos da capital. Além disso, não havia um agente sequer da Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT) para auxiliar os ciclistas.

Procurada, a SMT garantiu que a revitalização desta sinalização está ocorrendo conforme o serviço chega onde estão instaladas, como já ocorreu no Vaca Brava, Areião e ruas que ligam os dois parques.

Projeto

Inauguradas no final de 2015, as ciclofaixas interligam três parques da capital: Lago das Rosas, Vaca Brava e Areião.

O trajeto demarcado de interligação dos três parques de forma permanente passa pela Av. Portugal até a Rua Orestes Ribeiro (conhecida como T-52) para quem seguir em direção ao Vaca Brava, por meio da Av. T-3 para chegada ao parque. O retorno ao Lago das Rosas poderá ser feito também pela Av. T-3, mas pelo acesso à T-51 para passagem pela Av. Portugal e encontro com a Alameda das Rosas.

Deixe um comentário