Ele contou que, após ser mordido, ficou consciente e que, já na ambulância, percebeu que teria o braço amputado

menino

Vrajamany Fernandes Rocha, de 11 anos, perdeu o braço direito ao ser mordido por um tigre no Zoológico de Cascavel, município do Paraná, em 30 de junho deste ano. Numa entrevista à TV Globo, o garoto, demonstrando maturidade ímpar para sua idade, disse que seu pai não é culpado pelo acidente. “O meu pai não teve culpa. Ele não sabia que ia acontecer.” Ele contou que, após ser mordido, ficou consciente e que, já na ambulância, percebeu que teria o braço amputado.

Vrajamany mora com a mãe, uma funcionária pública, em São Paulo. Ele não mora com o pai. Estava no Paraná para visitar o pai e o irmão caçula.

Ao ser perguntado por que se aproximou tanto do tigre, o garoto disse: “Para ele chegar perto assim [ficar mais perto]. Porque ele ia para lá e ficava um pouco. Aí, você subia, ele vinha para cá assim [o menino o atraía]. Não tomei choque, não, porque na ambulância eu já sabia que iam cortar meu braço”.

O menino parece conformado e, aparentemente, responsabiliza a si próprio pelo acidente. Agora, está aprendendo a usar a mão esquerda para trocar de roupa e escrever. Ele era destro. “Eu quero voltar a fazer as coisas sozinho rápido”, diz o menino. Isto, mais uma vez, prova sua maturidade e, ao mesmo tempo, como uma criança é capaz de dar a volta por cima com extrema velocidade.