Médicos são alvos de golpistas que usam whatsapp para enganar e pedir dinheiro

Vitimas já relatam prejuízos superiores a R$ 50 mil. Delegacia de crimes cibernéticos investiga quatro casos semelhantes

Foto: Ilustração

Médicos e seus familiares se tornaram alvos de criminosos em Goiás. Golpistas usam aplicativo de mensagens com números de telefone e fotos dos profissionais para pedir aos pais e amigos que façam depósitos bancários. Apenas uma vítima alega ter prejuízo de aproximadamente R$ 50 mil.

O golpe é simples, mas ousado. Os criminosos virtuais conseguem usar um número de celular novo, copiam fotos de redes sociais de médicos e se passam por eles. Assim, o golpista entra em contato com alguém da família, troca algumas mensagens para adquirir confiança e então pede para que seja feito um depósito para pagar um fornecedor ou para custear uma despesa.

“Por meio de redes sociais ou de outros bancos de dados esses criminosos conseguem o contato de familiares e amigos, e a partir daí começam a conversar e colocar em prática o crime”, explica a delegada titular da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC), Sabrina Leles.

Uma dessas vítimas relatou que o pai, um idoso, chegou a fazer três depósitos para os golpistas. Os criminosos teriam conseguido o telefone dele por meio de uma rede social. 

Outro médico relata que a mãe foi vítima dos golpistas. Eles teriam enviado mensagem dizendo que o filho trocou o número de celular, mas a foto que usava no aplicativo de fato era do médico. Após uma troca de mensagens amistosa, o golpista pediu para que a senhora fizesse um pagamento, já que o filho teria extrapolado o limite diário de transações financeiras. O criminoso alegou urgência no valor, pois precisava pagar um fornecedor, e assim, se tornou mais uma vítima do golpe.

Investigação

A delegada revela que quatro procedimento de investigação já estão em andamento. Todos eles tem como vítimas médicos e seus familiares. Por terem seus nomes expostos em lista de clínicas e redes sociais, esses profissionais se tornaram um algo para os golpistas. 

“Infelizmente se tornou um crime comum, com uso destas e outras engenharias sociais. Engenharia social é esse papo que eles usam, se passam por amigos e pedem dinheiro emprestado, ou usam de alguma artimanha para pedir um valor para inscrição em um programa, coisas do tipo que induzem pessoas a caírem no golpe”, aponta a delegada.

Desconfie 

A delegada aponta que para se prevenir e evitar ser vítima de golpes dessa natureza é preciso desconfiar sempre. ” Mesmo que o perfil tenha a foto do conhecido, ligue, procura saber se está tudo bem. Pode ser real, mas fale com a pessoa, ouça a voz dela e entenda se há necessidade de transferir algum dinheiro de verdade. Certamente se todos tivessem feito isso não teria caído”, orienta a delegada.

Especialistas também apontam que é preciso ter cuidado com banco de dados onde se cadastram números telefônicos e dados pessoais. As fotos também precisam ser resguarda para acesso de conhecidos. São inúmeros cuidados, que devem ser tomados para não cair em golpes como este, mas o principal é: sempre desconfie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.