Médico peruano é acusado de estuprar bebê de 7 meses em motel de Manaus

Pai da criança, o homem teria contado ainda com a ajuda da mãe do recém-nascido

Divulgação

Um casal foi preso na última quinta-feira (31/8), em Manaus, suspeito de estuprar o próprio filho, um bebê de apenas 7 meses de idade. Conforme informações da Polícia Militar, o recém-nascido foi resgatado de um motel depois que funcionários ouviram o choro da criança e resolveram acionar a coporação.

O médico peruano de 45 anos, que atua em hospitais de municípios do Estado do Amazonas, e a jovem de 24 anos, mãe da bebê de sete meses, foram denunciados por estupro de vulnerável.

“No local indicado os policiais militares encontraram o médico, a jovem e a filha dela. Na ocasião, constataram que a bebê estava nua. Os policiais então pediram para uma camareira verificar a genitália da bebê, quando foi constatada certa vermelhidão na região, com indícios de estupro”, revelou Juliana Tuma, titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

Exame de corpo de delito comprovou o estupro e revelou, ainda, que os abusos já vinham acontecendo há bastante tempo. O recém-nascido está, agora, sob proteção judicial.

À polícia, a jovem de 24 anos confirmou que o médico seria pai da bebê, mas disse que ele nunca havia mostrado amor paternal pela filha. Ela contou que chegou à capital amazonense aos 15 anos para trabalhar na casa do médico, e, desde então, ele teria a estuprado por diversas vezes.

“Quando engravidou, passou a nutrir um sentimento por ele e, por isso, nunca o denunciou. A jovem afirmou que o médico é o pai da bebê, porém, ele só vai registrar a menina mediante comprovação da paternidade, por meio de exame de DNA”, declarou a titular da Depca.

4 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Maria Pisani

Mentes diabólicas dos dois, prisão máxima e sem condicional.

Anne

Essa mulher tem problema psicológico. Ela não é mais noral devidos os estupros e maus tratos… com certeza ela era ameaçada. .. Não defendendo… mas necessita sim de um profissional psicólogo urgente nesse caso… agora ele é um monstro e acostumado com esses delitos com certeza.

CARLOS

Lei Perú, Quanto à sua duração, a pena de privação de liberdade, de acordo com o Código Penal de 1991, de prisão perpétua. Este último pode ser imposto em casos de crimes que afetam seriamente os direitos legais considerados fundamentais (por exemplo, seqüestro em formas agravadas, violação de crianças menores de 10 anos, assalto agravado quando o agente atua como membro de uma organização criminosa ou gangue, entre outros).

silva

nada justifica uma pessoa deixa acontecer um ato desses com um filho mesmo sob ameaça é um lastima e dificil acreditar que uma mae seja capaz de omissão por sentimento por um homem tão sujo e perverso…lamentavel